28 de out de 2014

Café com a professora.


A semana começou pontuada de vitórias seja no plano pessoal, seja como cidadã. Com muita luta, sacrifício e dedicação a minha filha Agnes terminou a dissertação de Mestrado, que devido a percalços de saúde pensamos que não cumpriria em tempo.

A sua dissertação dedicada a educação, adminstração e gestão social bem retrata uma mistura de ingredientes que deu certo, onde ela juntou sua formação de comunicação social, relações publicas, educadora  num baticum da educomunicação – uma mistura que vai "Do giz ao Byte".

Apaixonada pelo que faz, fez seu caminho e criou seus espaços, fazendo do trabalho um prazer e colocando a comunicação a serviço da educação. Tornou-se professora, produtora de conhecimento e formadora de pessoas.

Nesta trajetória e como sempre, contamos com muitos da família, com destaque para a vó Célia Gil, o vó Zé na hora do inglês, o vô Vavá, A tia Neima, as tias Gal e Ana, tio Cado que lhe deu guarida, irmãos,o pai e a mãedrasta Fá e eu, além da presença e do amor incondicional da irmã e também professora Mestre Cissa, a quem chama de Lili.

Reproduzo aqui e sem modéstia alguns trechos do agradecimentos, que tocam a mim e aos mais chegados: "Aos meus pais, por serem o meu porto seguro... tenho a certeza de que posso me jogar nas aventuras mais loucas, pois sempre terei um lugar para voltar.
Meu pai, você me ensinou a ver beleza no simples. Você sempre será o meu “grilo falante”! Tudo o que faço é para retribuir todo o seu amor e dedicação. Minha mãe, Heide, você me ensinou a ser guerreira, a não desistir das lutas. Com você aprendi que sempre é tempo de recomeçar. Acredite, só cheguei até aqui por conta desse aprendizado. Minha mãe, Fátima, obrigada por ter me
querido como filha. Você não imagina o quanto foi referência para mim durante esse processo... com você aprendi que amor de mãe pode vir também do coração.
Às minhas irmãs Lola, Cacau e ao meu “bororô”, Rá, por me ensinarem que com vocês jamais serei solidão. À minha irmã, amiga e parceira das aventuras da vida, minha Lili, o meu coração fora do corpo. Agradeço, simplesmente, por
você existir, por ser minha vida, por sempre segurar minhas mãos... Seguiremos juntas sempre.
A toda família, meus tios(as), primos(as) e sobrinhos(as) por serem minha base, minha história e pelo amor que sentimos uns pelos outros. À tia Gal, por ser sempre uma mãezona, o “furação” mais doce do mundo! A tia Ana, por ser coração, cúmplice e colo sempre. A tia Neima, por sempre incentivar os estudos e estar presente em todos os momentos de nossas vidas. A meu tio
Cadito, em quem sempre encontrei colo de pai e escuta de amigo, você é fundamental para as conquistas de meus sonhos"

Me tocou profundamente a sua dedicatória a vó Célia, que bem poderia ser minha. Com D. Célia aprendi boa parte do que sei e nela me espelhei por muitas vezes. Também me emocionou  a lembrança da prima/irmã Samantha e da amiga Goretti que não partilharão deste momento, mas o quanto estiveram conosco nos marcaram para sempre: - "À minha vó Célia que me ensinou,
através dos livros e da contação de histórias, que mundo era muito maior que a nossa rua.
À Sam e à Gó, com quem aprendi que é necessário viver cada dia como se fosse o último."

As meninas cumpriram a promessa e me presentearam com 2 títulos de Prof. Mestre no mesmo ano. Muito, muito mesmo para mim. Fiz pouco e recebi muito e sou grata por ter alcançado este momento.

A outra vitória da semana compartilho com ambas, aliás com todos brasileiros, asseguramos a continuidade das politicas públicas no Brasil, inclusive as de educação, com eleição de Dilma para mais um mandato.


Eita, semana porreta e cheia de alegrias. Haja café para comemorar!





Agnes em momento festivo
                                                             
          Cissa, quando fez a sua pesquisa em NY City, a irmã escudeira

Por todo meu povo  esperança de dias melhores com #Dilma13

23 de out de 2014

café torrado na bola.

Para torrar os grãos de café na bola há que se ter paciência e conhecimento. Paciência porque o processo é lento e conhecimento da intensidade do calor, do tempo necessário  e da medida justa de grãos a colocar na bola a cada vez.

Ando meio que torrando café na bola com a compra do apartamento e tenho aprendido a ter muita paciência para esperar prazos, conhecer tramites e, principalmente, domínio das das despesas nas quantidades certas a cada etapa. Eita coisinha difícil!

Já faz quase um mês que paguei a entrada e entreguei toda meu  Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS , uma espécie de poupança que o trabalhador brasileira acumula, independente da previdência social para aposentadoria. Tomei dinheiro caro em bancos para a entrada e endividei  até a alma, mas o processo é lento e ainda leva um tempinho. Paga-se antes do financiamento do saldo e fica-se a aguardar a burrocracia, digo burocracia.

Neste meio tempo e sem as chaves, fico de mão atadas e presa a pequenas providencias. Também fico a especular as futuras reformas e ajustes, já que apesar de caro o imóvel é entregue sem piso frio e sem azulejos. Aqui e ali vou criando soluções baratas e pesquisando preços.

O piso será o velho e bom cimento liso como eram as casas antigamente, quando lajotas eram luxo e porcelanato nem existia. Aquele que se encerava com Parquetina e dava brilho no escovão e nem existiam enceradeiras automáticas. Esta é uma solução barata, provisória mas que deixa um certo charme e disfarça a falta de grana. Aqui e ali vai surgir um velho azulejo/lajota estilo português. Comprei 20 e devem ficar 2 por cômodo nas soleiras das portas e na sala ocupará os cantos  e um detalhe central. Comprei-os no cemitério dos azulejos.

Por um bom tempo não teremos azulejos e a tintura epox dará proteção às paredes. Também vou reeditar um velho ferro/ trempe para panelas que fará vezes de armário. Gosto de ver as panelas dependuradas nos ganchos e me sino numa casinha de campo.

Na divisória da cozinha o velho portão fará às vezes de balcão e já é utilizado no atual apartamento, precisando apenas de uma demão de tinta. O banheiro não receberá o blindex tão cedo e antes virá uma parede de blocos de vidro para substitui-lo, mas  que só poderá entrar no próximo ano.  O bloco de vidro é uma solução belíssima e sou apaixonada pro eles.

A cama é grande para o quarto e devo permutar com minha filha trocando novamente de Quenn para Casal. Armários e móveis ficaram os que couberem no espaço. As louças terei que desapegar,  já que adoro e tenho demais, muito mais que preciso ou tenho onde colocar.

A velha cômoda acomodará as roupas de cama e banho e só vestirei o couber no velho armário que sairá do quartinho e novamente ocupará o quarto. A mesa eu dispenso, mas a minha filha insiste que leve. Vivo bem sem ela e é muito mais útil a ela que faz artesanatos, que a mim.
Assim vou passando meus dias entre espera e providencias tudo regado a muito cafezinho. Tomara Deus a paciência não se esgote.
Bjs cheios de expectativas

P.S Domingo é dia 26, segundo turno, dia  de votar 13 (26=2x13)
#dia26vote13
#dilma13
#dilma13mudamais





piso de cimento queimado com detahes de lajota - web


                                                       as orquídeas terão novo endereço 

15 de out de 2014

Quem confessa, comunga com bolinho.

As pessoas tem me perguntado por que voto em Dilma, aproveito para responder a todos com as belas palavras de Hildegard Angel e me sinto nelas contempladas.

"Sou Dilma porque tenho olhos para ver o rosto deste novo Brasil, a partir de uma trajetória reformadora iniciada com Lula há 12 anos, que a presidente prossegue com ímpeto, fôlego, vontade e determinação.

Hoje temos um país múltiplo, em que diferentes ocupam o mesmo lugar ao sol, merecem o mesmo respeito da sociedade, sobem no mesmo elevador, frequentam o mesmo aeroporto, têm os mesmos telefones celulares, os mesmos televisores e laptops. Podem ambicionar o mesmo ensino superior. Têm direito à casa própria.

Temos um país para todos, mais fraterno, menos preconceituoso, em que o cidadão tem consciência de seus direitos e a auto estima elevada.
Sou Dilma porque sua política econômica prioriza o povo brasileiro, a multiplicação de empregos, o desenvolvimento nacional"

Aproveito para afirmar e esclarecer que no Facebook publico na minha linha de tempo, evitando as postagens na linha de tempo dos outros por respeito a posição política da cada um. Evito postagens em grupos fechados e só compartilho ou marco os que comungam destas opiniões. Aos que visualizam fica a liberdade excluir ou ocultar a visualização ou que acharem melhor fazer!
De mamando a caducando pelo Brasil ‪#‎Dilma13







se a vida tem espinhos, aprende-se a conviver1
Foto Ronaldo Lima