30 de jun de 2013

Quem come e guarda...toma cafezinho depois!

Hoje almoçaremos "sobras de Paulinho a moda da casa"!
Teremos - Frango com descanso em molho de tangerinas (aquele que ficou salgado para a carne). Acompanhado de purê de bananas maduras com c. cheese e tarrine (as bananas já estavam de casca pretinha)
Camarões miudos refogados em conserva de pimentão (os camarões de beliscar e a sobra da conserva de pimentões) e arroz branco e farofa de amêndoas.
Assim nosssos corações,  paladares e energia vão se misturar em aromas e sabores e poderei diminuir minha saudade.
Beijos em Dorinha   e tim tim de água com gas.
Nouredini - animaDinha.
P.s Depois tem cocada e um cafezinho. Hoje o escolhido é o Via Latina -o café do Papa
O almoço e o novo look fazem parte do esforço em fazer do limão uma limonada. Adoçada é claro!
 ...e se é para mudar de postura, agora sou ruiva! Desisti de ser loira.

28 de jun de 2013

Siliconadas

Descobri que muitas mulheres, assim  como eu, já aderiram a onda do silicone.  Principalmente, as maduras  e experientes, que viram na alternativa além de  beleza, conforto e praticidade.
A variedade é grande,as formas diversas e atendem a toda gama de exigências.  Também variam no preço, mas sem dúvidas, tudo que já vi satisfaz ao seu propósito, embeleza  e combina até com os ares sóbrios e conservadores.
Ontem jantamos com um casal amigo, Célia e Mariozinho, enquanto era apreciado um bom vinho e Celinha dava providências ao jantar, ocorreu a ela nos mostrar o  silicone recém adquirido.
Toda empolgada e de peito aberto, surgiu da cozinha em meio a sala, toda prosa, a me mostrar sua aquisição.  Acude-me em dizer a todos que tinha um parecido,  não exatamente igual, mais muito útil.
Paulinho até olhou com interesse e Mariozinho fez cara de "já conheço" e eu... morri de inveja porque o meu é bem menor!!!
Amanhã vou a forra e comprarei um escorredor de macarrão retrátil,  feito de silicone e igual ao dela, só que verde ou azul, mais sóbrio. O dela é vermelho, puro exagero! 
Eu hem, tava pensando que era o que?

Eita mente fértil, vai tomar um café para alojar o juízo no lugar certo!
Eu adoro utensílios de silicone na minha cozinha.  São práticos,  higiênicos e belos!
Beijos meus queridos, aproveitei o mote para dar uma risadinha porque o coração tá choroso de saudade e cheio da certeza de que já foi esquecido.
Beijos Celinha, esta foi pra você!

25 de jun de 2013

Café e colo.


Somos  acostumamos a ter algumas pessoas como referência de fortaleza, resistência e até resiliência. Esta ideia e imagem nos conforta e ampara ao ponto em que, nem mesmo procuramos confirmar se é uma verdade para o outro.

Nestas pessoas nos penduramos, apoiamos nossa mão no ombro e caminhamos, supostamente, confiantes e seguros.

Inseguros e insensíveis, deitados no berço esplêndido deste conforto, não lhes fitamos os olhos ou  lhes olhamos o semblante para perceber se são felizes, se tão são fortes assim.

Criamos mitos que só atendem a nos mesmos e deixamos de amparar pessoas queridas por puro egoísmo. Hoje faço aqui meu “mea culpa” por ter feito isto com uma amiga durante anos, ou melhor, décadas. Décadas em que contei com sua racionalidade, com seu carinho e com suas providencias.

Hoje recebi um e-mail com o assunto: Ajuda. Confesso que abri pensando que ela precisava de alguma dica técnica ou alguma providencia burocrática. Nunca a imaginei frágil e nisto, de certa forma , não errei:  - do alto da sua dor ela teve coragem e gritou socorro, me ajude.

Fiquei chocada  no primeiro momento e envergonhada comigo, logo em seguida. Como podemos não perceber a dor do outro, quem não tem dores? Que fantasia egoísta criei para me sentir confortável.

Tento aproveitar o momento para uma reflexão: somos humanas! Eu com meu egoísmo e ela com sua dor. Nada é perdido amiga, mais uma vez contei contigo para corrigir o rumo da minha vida. Sua dor me acordou da minha "umbiguice" e sei que podemos nos amparar. Podemos trocar figurinhas dos nossos álbuns de vida.

Quem não tem histórias repetidas e lições aprendidas para trocar?

Poderemos conversar, avaliar alternativas, chorar e rir  -  o dia que você quiser, puder ou precisar.  Vamos inverter as posições adotadas até então nesta nossa caminhada. Faremos diferente desta vez, oferto meu colo, meu ombro e lhe prepararei quantos cafezinhos você quiser na sua ou na minha cozinha e, com uma novidade, hoje em dia os meus panos de prato são tão alvos quantos os seus.

Beijos minha querida, lhe reservo o direito ao anonimato, mas revelo todo meu respeito, carinho e disponibilidade para apoia-la.

Fraternalmente,

Nouredini.’.

Prometo que deixarei de ser que nem mandacarú, que não dá sombra nem encosto e dualmente, serei como mandacarú que fulora na seca da sua solidão e dá frutos gostosos, quando bem descascados!

22 de jun de 2013

Café com catarse

Desde ontem a noite estamos em providencias com um a almoço para as filhas. O motivo é um prosaico encontro de família e alegria de compartilhar. Há quem, de língua mais ferina, diga que é uma forçada de barra ou um encontro provocado.

O fato é que nos ocupamos ontem e hoje. Nem imagine que estou a chefiar a cozinha, sou reles auxiliar, apoio e leva e traz.  Paulinho está cozinhando e eu às providencias!
Cozinhar neste momento não se resume a alimento, mas envolve um processo amoroso de escolha, cheiros, sabores e combinações. Infelizmente, como a vida é dual, também de exclusão. Cozinhar é uma ato dele, com seu vinho, seu fone de ouvido e raras intervenções para situar-se onde fica algum dos apetrechos que precisa.

Resumo-me a minha insignificância subordinada, mas prazerosa, de assistir o prazer dele com o que faz. Coloco uma musica, faço um café e venho para cá conversar com quem me ouve ( força de expressão!).
Hoje pelos recantos deste nordeste a bola da vez é o forró, afinal estamos às vésperas de S.João, tem jogo do Brasil, etc; entretanto, este festejo é diferente e com pessoas ruas levando a sério o momento e cantando o Hino Nacional com mantra para lembrar a sua cidadania vilipendiada.

Ouvimos bombas ecoarem por todo Brasil, mas não rojões juninos e, quando o são ,estão na mão do povo que recebe de volta bombas de gás, bombas efeito moral e saraivadas de balões de borracha, que não machucam menos que balas, apenas minimizam a pena de quem as atira.
O povo tá na rua e não diz “ dai-me de beber senão em vou embora” ou “olha pro céu meu amor, veja como ele está lindo”, musicas tipicamente juninas. Só olham  para ver onde  irão caíras bombas que são atiradas contra eles.

Como em toda festa,  muitas vezes,  há excessos  e fica-se embriagado. Desta vez, a embriaguez é de cidadania, entretanto ainda que justificada no motivo, já  começa a ameaçar o próprio movimento e a soberania. Preocupa-me o espaço que está se dando a nossa “ Direita reacionária” . Já correm manifestações de impecahement.

Se faltasse todo café  no Brasil, se tivéssemos perdido a lucidez total e absoluta, mesmo assim não poderíamos comparar este tempo ao  que já passamos. Há erros, despreparo, omissões, desvios mas o Senado Federal, O Itamarati ainda são símbolos fortes e depreda-lo cheira a porre coletivo e para isto só café com sal.

Ando descontente, para dizer pouco, com o partido que ajudei a construir e também me identifico na maioria das palavras de ordem do moivmento. Me arrepia e alegra ver o povo na rua ocupando seus espaços, no entanto temos que ser lúcidos e cautelosos. Estamos expondo as nossas vitórias duramente conquistadas.

Vou mandar fazer carros pipa de café forte e chá de lucidez com gotas de tolerancia para uma policia despreparada e condena-los a assistir dia e  noite, sem cafezinho no bar da esquina, os atos de terror que vivemos nos anos 70 e  a cada cochilo moral, gritar: - Acordem!

O papo  tá ficando muito sério e sou invadida pelo cheiro que vem da cozinha e volto ao meu umbigo. Jorge Aragão canto os últimos versos de “encontro das águas” e fica ecoando na minha cabeça:

Qual de nós 
Foi buscar o que já viu partir, 
Quis gritar, mas segurou a voz, 
Quis chorar, mas conseguiu sorrir ? 
Quem eu sou 
Pra querer
Entender O amor?

O amor pelo país, pelo amado, pelos filhos, pelas lutas , pela possibilidade da sanidade e cidadania.

Me senti traído e traidor
Fui cruel sem saber que entre o bem e o mal 
Deus criou um laço forte, um nó 
E quem viverá um lado só ?

A música segue e conclui por mim e aponta para o rumo das coisas:

Hoje vai pra nunca mais voltar
Como faz o velho pescador 
Quando sabe que é a vez do mar.

“Entrei pelo pé  do pinto e acabei saindo no pato”. Não importa, disse o que queria.

Resta-nos a pergunta, que está fazendo as vezes do mar?




Imagens copiadas no Facebook, sem autorização mas com intuíto de divulgação. caso queira que retire, basta enviar postagem


19 de jun de 2013

Café com leite, um estado precário d'alma.


Hoje estou meio café com leite. Posição incomoda de quem quer de tudo e não consegue se definir. Posição neutra. É pior que abster-se!

Sempre odiei abstenções que cheiram a murismo, a oportunismo...mas misturas em partes iguais, sei não! 

Um terceiro sabor surge e não agrada ou se agrada, nada tem das partes. Nem café, nem leite. É pior.

Vou passar um café forte e por a termos esta mistura. Assim que melhorar, eu volto!

 
Preciso modelar-me!

Foto Mazzei
 

 




16 de jun de 2013

Não só de chá vive um aspirante a Buda!

Beijos meus queridos
Que todos os Budhas possam nos ensinar a caminhar com firmeza e plena atenção.
Shanti Om Namah Om




Nucleo Mahananda, 15.06.14013 -FBU
 

Bolo.

Hoje amanheci arrumadeira,  coisa não muito comum para um domingo chuvoso. Meu quarto estava um caos. Desarrumei-o ainda mais estes dias, à procura de meu presente do dia dos namorados,  que perdi na embalagem da joias.
Coisas de Heidinha que Nouredini não conseguio consertar! .
Meu quarto é pequeno e não fosse a minha desordem e a minha "des" arrumadeira semanal, D. Jaci, que consegue me superar, não teria como perder nada em espaço tão diminuto.
A minha maldita mania de trocar de bolsa e sair deixando metade das coisas pelo caminho. Enfio as coisas de uma bolsa para outra deixando rabos.
Já tentei milhões de modelos bolsinhas e organizsdores, mas o uso apropriado não passa de uma semana. Carteiras e porta dumentos então,  nunca foi opção!
O bendito presente veio antes do dia e guardei-o para usar na data certa. Este foi o meu erro. Como tudo que me é caro e importante, guardei...na bolsa.
Não faco a menor idéia de onde perdi. Sei que estava comigo alguns dias antes do evento festivo.
Como desgraça sempre soma, guardei-o junto a outros berloques já meus e, que fariam uma boa composição.
Perdido por um, perdido por três.  Perdi o novo e os outros. Restando a lembrança e o prejuízo real e moral.
Faço um café e volto para o quarto insistindo em procurar para amenizar a minha culpa. Pura idiotice.
Paro e  bebo um gole grande do meu café e vejo que esqueci de adoçar e neste ato falho, vem amarga decisão: comprar tudo de novo ou esquecer.
De uma coisa tenho certeza, nem uma nem outra opção vai melhorar este meu jeito desorganizado de ser.
Ops! Mas não fiquem pensando que minha casa é uma bagunça.  Só as minhas coisas pessoais e mais especificamente, as minhas bolsas, joias , remédios e documentos.
Para não restar dúvida, mato a cobra e mostro o pau!

15 de jun de 2013

Proibido café

Se tivesse barbas estariam de molho e  se fosse gato, já fora escaldado e restaria o medo da água fria.
Desconfiada,  insegura ou fresca e frouxa talvez sejam boas palavras para descrever este meu estado d'alma. Graças a Deus tenho um bom anjo de guarda além mar,  que quando não vê sinais meus  no horizonte, cuida em me tirar das catacumbas da minha mesmice e desta vez, com um conselho acompanhado de receita.
No mínimo, devo considerar a sugestão do meu amigo,  afinal os anos lhe conferem experiência e perspicácia e,sendo ele de coração bom, só deseja o meu bem.
Há um porém caro amigo e anjo guardião -Zito Azevedo,  mal de amor curado com outro amor não produz  a cura de Hanneman, o efeito homeopático da cura pelo semelhante.
Na homeopatia coffea crudis - café - é remédio para insônia.  Cura-se o mal pelo efeito que o uso do semelhante produz.
Só conheço dois remédio homeopáticos para este momento: -  a Pulsatilla que cura as dores errantes e as dores queixosas e a Inácia amara,  que de tão amarga tira o bolo da garganta e o amargor do coração.  Inácia é o remédio das perdas.
Na sua chamada voce falou que me encontro em minha conha e,  que preciso sair. Isto me leva a mais um  possível remédio - Calcária carbonica, apropriado ao momento e feito de cascas de molusco.
Tá vendo amigo voce é mesmo um bom anjo guardião  e acaba de me receitar em escala decimal, para crise. Em linguagem de farmácia homeopata:
R=
Inacia, calcarea e pulsatilla tudo em 6D ou 6X por 9 dias
Depois continuar com pulsatilla 200 CH.
Centessimal, porque meu caso é crônico!
Obrigada vou correndo aviar a receita e lhe darei noticias.
Beijos e mande a conta.
 
PS.  evitem tomar remédios homeopáticos logo após ingerir bebidas fortes como café ou menta porque tira-lhes o efeito!

9 de jun de 2013

Cuidado, senão desanda!

Minha avó,  D. Tinda, Celestina Victor costumava dizer que panela muito mexida desanda.
Pura sabedoria aplicável a cozinha e a toda vida. Quando insistimos em qualquer coisa ou evento, entramos num processo de desgaste.
Me reconheço um mão peca e cotumaz em desandar panelas, relações e distrações.
Começo bem e na exata medida da receita e, daqui a pouco, resolvo ver e rever e ponho muita coisa a perder.
Os anos e a caminhada ja me permitem constatar, que apesar de  muito estudo, observação e receitas, que ainda erro na hora de mexer.

Não sei esperar o tempo, nem ponto da calda e tão pouco bater as claras até nevar.
Sempre achei que mexendo a panela, a  comida não grudava no fundo .  Tolinha, diria Paulinho.
 
Esta arte  de cozer sentimentos é diferente...Se mexe, gruda.
Se fica junto, queima. 
Se prova, azeda.

Fico assim me sentindo com as marcas de uma vasilha que já " pegou no fundo"e que uma vez queimada, nunca perde o gostinho de pegado.
Fico pensando...se a panela fosse de barro, que quando queima não serve mais... Tava frita, ou melhor,  tinha virado carvão!

Obrigada N. Senhora do Alumínio e o Santo Protetor dos polidores.
Vou pegar meu saponáceo e um palha de aço e que Deus me ajude a esfregar.
Espero ver seu sorriso briando novamente, se depender do meu esforço.
Beijos e rezem para que eu tenha sucesso e não continue a ser apenas, a moça do café  espresso expresso.
Comidinhas de sexta e sábado, quem derá coinhasse assim os meus afetos 

4 de jun de 2013

Café incompleto



Quando o espelho não nos é fiel, um misto de susto e esquizofrenia nos invade. Olhamos aquele rosto e não nos reconhecemos.  Vemos algo que não nos parece familiar. Não importa se os traços são mais novos ou mais velhos que os nossos,  mais feios ou mais belos, o que realmente assusta é quando não são os nossos, ou nos parece, não ser.

Nem todo café do mundo é capaz de clarear nossas ideias e  nos acordar do susto.  Quem é este outro? Como entrou a minha frente no espelho? Porque insiste em usar meu nome? Este outro, normalmente surge quando queremos, ou julgamos deixar de ser quem de fato somos, ou de fazer o que temos e precisamos fazer. Este outro, somos nós pelo avesso.

Pare, respire conte de 99 a 1, repita se errar. Foque a atenção. Respire, respire, respire e admita, reveja, repense.  Tome outro café e se organize. Tome tento, busque o alento, que a misericórdia vai chegar.

Nunca tenha medo de enfrentar seus medos, suas loucuras e seus fantasmas porque são seus e não deste outro, que você cisma em ver no espelho da parede ou da alma.

Beijos e boa sorte.

3 de jun de 2013

Hoje é meu aniversário

Ofereco a todos que tecem comigo os meus dias, em tendas e contendas, por estar viva, saudável e feliz.
Com vocês partilho o meu primeiro café do dia!!!
Amo vocês