30 de mai de 2015

Modo automático

Muitas vezes ligamos o modo automático  e seguimos com nossas vidas,  sem olhar para trás e nem onde estamos pisando no momento.

Se lhe perguntasse de "bate pronto" - o que você faz 10. 000 vezes ao dia sem pensar ou comandar? Que tal a mesma pergunta para  20.000 ou mais que isto? Nem todos saberiam responder.  Nem sempre estamos presentes e inteiros no que fazemos.

Respiramos cerca de 25.920 vezes por dia e nem percebemos,  como também  não  percebemos  o que comemos,  o quanto ou porque comemos.  É assim  comigo,   com você  e a maioria de nós.
Não  se  degusta,  engole!  Não se saboreia a comida quando não  se saboreia a vida! Percebo que só saboreio o meu café.  Resolvi mudar isto!

Presente,  consciente,  respiro e percebo o mundo em minha volta.
Bjs queridos amigos e companheiros de rodadas de café! 

29 de mai de 2015

Café e conversa para perder peso

 Cheguei no limite do peso, na última das dezenas.  Já beirando uma centena de kg, resolvi  tomar uma decisão – comecei uma Reeducação  Alimentar (RA), só que on line. Tem reuniões, chats com nutricionistas, orientação para exercício e controle de alimentação com um diário para anotação.
Já fiz Vigilantes do Peso em outra época e é bem parecido, só que com a facilidade de ter ferramentas virtuais e um blog, sim um blog. Lá posso escrever sobre sentimentos, trocar impressões e sugestões, fazer amigos , tal e qual aqui.

Se pensarem que deixarei o meu café e bolinho, nunca é a resposta porque aqui sou feliz. Aqui tenho amigos queridos, aqui falo da minha família, dos meus achaques e vitórias. Lá o conteúdo é mais direcionado. A função é formar uma rede de apoio e ajuda no emagrecimento e claro, formar novos amigos. Uma ideia, que bem lembra um cafezinho quente em hora oportuna.

 - Então, doravante estarei lá e cá e sempre que possível trazendo os amigos de lá para cá e levando daqui pra lá, porque a vida é uma só e se é amigo, que seja em tudo e por tudo.

A vocês com converso aqui no café em intervalos irregulares (rsrs), deixo espaço garantido e título de sócio remido em meu coração e toda minha gratidão por me acompanharem, fazendo o meu dia-a-dia muito melhor.

Obrigada, obrigada e obrigada!


dietaesaude.com.br

25 de mai de 2015

Saudade de quando o carteiro não trazia só contas a pagar



Quando as notícias nos chegavam por carta, telegramas e raros telefonemas era possível que demorasse dias entre uma e outra. Depois os telefonemas foram amiudando o intervalo, encurtando a distância, a internet trouxe os e-mails, blogs e as noticias ficaram mais rápidas que o passar de um cafezinho!
Ficamos ligados, antenados e informados numa rapidez de click, mas nada se compara ao Whatsapp ou "zap zap" como carinhosamente passamos a chamar. De fato é zap, um flash, segundos entre enviar e receber. Sabemos de tudo na velocidade dos bits, ou naquela em que, dedos enferrujados, conseguimos digitar...rsrs.


Como tudo  é dual, bom e ruim, alegre e triste isto comunica, atualiza, mas virou um problema: -  Quando enviamos e recebemos uma mensagem, esquecemos que o outro pode estar trabalhando, dirigindo, comendo, atendendo, namorando e muito pior, há quem responda neste mesmo ritmo, mesmo ao volante ou deixando sem atenção que está ao seu lado, ao vivo e em cores.
O outro no virtual tem prioridade, assim o médico interrompe seu atendimento, o motorista se arrisca e arrisca os outros, o aluno esqueça a professora, a balconista perde a venda, o porteiro não abre a porta, as pessoas atravessam a rua sem olhar para os lados porque só olha o teclado. Virou um mundo de loucos!

A quem não se respondeu de imediato, compra-se uma  briga e até uma inimizade (os tracinhos azuis são os fiscais!!!!). Sei que corro o risco, mas me recuso a entrar nesta paranoia. Não atendo dirigindo, não saio do banheiro correndo, desligo em aulas, palestras, reuniões, cinemas e faço intervalos para ler mensagens e responder. Esta semana vi um vídeo de desenho animado sobe esta loucura s mundial. Pena que não consegui colocar aqui, mas o site é um equivalente chinês do youtube, o youku. Deixei abaixo, um link do meu Facebook. Chega a parecer cômico, se não fosse trágico.

https://www.facebook.com/nouredini.heide.oliveira

Não voltemos a carta ou  que percamos as oportunidades criadas pela tecnologia da informação, mas que recuperemos o bom senso e tomemos um tempo para o café e a ponderação, são os meus votos. A máxima pense antes de falar, vale para pensar antes de zapear!


Abraços a todos,



(imagens da web, propriedade do aplicativo)

15 de mai de 2015

A moça do bordado




...Quando eu crescer terei um lençol deste, prometo! Lindo, feito com cuidado e amor pela amiga Dilita.

Dilita, senhora prendada nas artes de costura, vive em Portugal e nos brinda com sus belas histórias e estórias no blog rendadebirras.blogspot.com. Madura, ativa, depois dos filhos e netos encontrou no blog uma outra forma de ocupar-se, enquanto seu querido Olímpio segue para o trabalho. Costura com mestria e rendas as suas memórias e até as suas birras!

Dona de casa zelosa, cuida com esmero de tudo, salvo quando o frio intenso do inverno a desanima e faz só o que lhe é de obrigação. Quando chega a primavera, desperta qual flor brejeira a nos brindar com suas crônicas, lembranças e fotos. Desta vez, resolveu cuidar com carinho e afeto de uma renda produzida por sua mãe e que merecia um destino a altura.
O trabalho, como esperado, ficou glorioso e ainda nos rendeu um post no Rendas, onde com muita modéstia, ela diz não ter mais as habilidades de antes. Eu, de minha parte, formosa sem dotes, ou nem mesmo mais formosa, fiquei encantada com o resultado.

As rendas da mãe agora  repousam num cambraia fina, elegante e que embalará a geração atual e futuras,  perpetuando as lembranças familiares. Do  que ela nos contou, tiro uma lição – persistência. Disse-nos que teve que insistir para  que a antiga habilidade volta-se, tentar, conformar-se aos limites, mas não desistir.
Esta foi uma lição tão bela quanto a sua renda. Tão duradora quanto sua cambraia. Tão límpida quanto a sua fibra e disposição. Rendo-me a esta senhora de mais de 70 anos, blogueira, mãe, artista e que gosta de café quentinho.

Beijos amiga, paz e bem em bons lençóis!


4 de mai de 2015

Café para os batalhadores

Dois aniversariante s neste fim de semana merecem todo meu respeito e carinho - Celia Gil, um misto de sogra e mãe que a vida me oportunizou nos idos de 1975  e meu pai, seu Vavá de quem muito já falei aqui. Figuras de caráter forte e uma infinita capacidade de construir a vida frente as dificuldades.
- Célia que me acolheu aos 16 anos, como ae filha fosse e creiam tornei-me e o meu pai a quem devo boa porte do que sou. Só vocês para conspirarem e fazer aniversário juntos, ecomizando idas e vindas a toda família.

D  Célia tornou-se um patrimônio e um legado, que extrapolou os círculos familiares.
Meu pai era dono de uma pedagogia intuitiva que brotava do seu coração.  Tinha uma capacidade infinita de construir e reconstruir a vida diariamente com fé e fraternidade, sempre apoiado pela companheira de toda sua breve vida, minha mãe Neyde.

Viveu pouco e morreu aos 67 anos, perdendo uma luta de anos contra o câncer, mas, em verdade,  o suficiente para manter-se vivo em nossos corações e mentes.
Na sua simplicidade marcou a vida dos filhos e netos. Consegue ser lembrado por minhas filhas até quando se deparam com uma caixinha vermelha de uvas passas. Sua simplicidade cativante marcou-as nas memórias de infância com presentes singelos e meigos como passas, sabonetes e longos passeio aos supermercados e o incentivo aos estudos.

Hoje sei que estaria feliz com a aproximação e reaproximação da família. Aliás, está porque permanecerá sempre vivo nos seus filhos, netos e quem mais chegar.

Dona Neyde cuida em fazer um bolinho aí no céu,  que daqui passarei um cafezinho para todos nós!
Beijos e Abraços cheios de sorrisos e salmos bíblicos para aquele que em suas próprias palavras " vive em Cristo".
Correm para o café Neima, Neiva, Wal, Agnes, Cissa, Joana, Lena e João seguidos dos Carina de Wal, Wlad de Joana, Beto de Agnes e....