30 de dez de 2014

café continuado.


Queridos,

todo ano é assim - bom e ruim porque bom ou ruim  é ponto de vista, olhar, momento, julgamento! Do bom e do ruim tiramos aprendizados e com eles fazemos o caminho. Caímos, levantamos, erramos e acertamos, mas só cai que tá andando e só erra quem está tentando  e, por isto, temos que continuar. Só há este meio e este fim.

- Umas em cheio, outras em vão, diria minhã vó!
- Furando o chão enquanto tá mole, diria meu pai!

Demorei a entender o significando das palavras do meu pai, e só trabalhando na zona rural depois das chuvas, observando o plantio do feijão com a tico-tico (máquina manual de plantio de sementes), que fura o chão e lança uma semente no buraco, entendi o sentido  - aproveitar a oportunidade, ter atenção, sabedoria e ciência de plantar aproveitando a umidade do chão para facilitar o furo e a germinação.

Meu pai, minha vó, minha mãe, meus irmãos, minhas filhas somos todos pessoas que nascem e renascem e continuam. Somos todos continuação do que acumulamos e continuaremos nos que nos sucedem. Somos agregados do fazemos, experimentamos e vivenciamos. Somos os amigos, a família de carne e osso, a família espiritual e a soma das nossas decisões e vontades. Somos nós e também a humanidade.

Sou feliz porque agrego, a cada dia, um pouco de vocês a mim e deixo um pouco de mim em vocês. A tudo isso sou grata. 

Sou grata as oportunidades que ensejaram nossas conversas das mais alegres até as mais tristes. Sou grata por que tive com quem partilhar lágrimas e sorrisos e isso é vida, vida feita de pedaços unidos e costurados por afagos e cafezinhos.

A todos vocês o meu sincero desejo de estarmos juntos sempre,
Todas as minhas vibrações de amor fraterno, compaixão e carinho,
Votos de um mundo melhor,
Em especial a Zito, força e determinação para acompanhar a sua Maiúca.















23 de dez de 2014

Café e bolhas!!!

Quando meu sobrinho-neto João era pequeno  ele sempre pedia a tia Cissa: - bolhas! Assim ele chamava a água mineral. Na verdade, tia Cissa ensinou a ele tomar água com gás,  enquanto ela tomava um espumante. Cissa adora ambos!
Este ano nossas festas estão corridas entre os fabricos dos mimos da frescuras e fofuras,  trabalhos de alunos, móveis de duas casas se amontoando no mesmo espaço e muuuuitos engarafamentos pela cidade.

Não tenho férias e só   ontem Cissa terminou as atividades dos alunos. Temos  alguns eventos de feiras e bazares para participar e ultimas encomendas para entregar do seu artesanato.
Tem sidos noites viradas, panos, papéis, etiquetas e laços para todos os lados e amanhã já é véspera de natal. Elas farão ceia na casa do pai e eu  vou descansar. Estou cansada e uma boa  noite de sono o meu melhor presente!

Amanhã almoçaremores  juntas, aliás juntos porque este ano vai o genro namorido de Agnes. Não trocaremos presentes porque já dei o meu bem antecipado. Sabia das correrias de final e, como imginei, nem deu tempo para os enfeites natalinos ou mesmo a boa e costumeira faxina do natal
Enfim, até as nossas conversas ficaram atrasadas e nosso cafezinho quase esfriou, mas os amo  e cá estou,  em pé num canto de bazar, fazendo esta postagem.
Gostaria de dizer  aos que passam aqui, que vocês são o meu presente, me fazem feliz, partilham minhas alegrias, tristezas e vacilos. A vocês me mostro inteira, bonita ou feia, alegre ou triste e até...com e sem cabelo!
Com vocês exercito ser fraterna, quando exponho e revejo os meus bichos peçonhentos. Recebo o colo de quem nunca vi ou ouvi a voz, mas consegue me entender e sobretudo, me aceitar. Para vocês edifiquei morada no meu coração!
Concluo que este espaço do cafeebolinho é uma Ceia Natalina que dura o ano todo, uma grande e frondosa árvore de natal, onde reencontro meus irmãos e trocamos boas lembranças dos nossos pais; onde mimo sobrinhos, cunhadas e cunhados/ irmãos que reuni na busca de ser feliz; irmãos fraternos, meu querido e fraterno médico e até meu  o amigo Augusto.  Troco mimos e afagos com o povo do além mar, queridos de Portugal e Cabo Verde e não por Cabral, mas por vocês, sinto ter dupla cidadania.
Foram muitos encontros, dúzias e dúzias, principalmente com muito café!!!
Que possamos manter esta árvore de pé, cheia de cartões, mimos e colos por todo próximo ano é a minha promessa e o presentinho que estou colocando aqui para todos vocês.
Meu abraço fraterno e cheio de festa para todos!

17 de dez de 2014

Café e amor estimulam e revigoram!

Uma das verdades que aprendi com  Sw. Shurimahananda  é que a vida é feita de pedaços alegres e tristes unidos e que devemos tirar de todos eles um aprendizado. Na nossa última conversa, o café descia  empedrado e doído de tristezas, mas rendeu a alegria da manifestação de  caríssimos amigos. Além disso, fui brindada com um presente da minha filha, aliás com mais um, além da sua companhia em todo percalço: - ele me presentou com um chá de casa nova, um chá virtual para repor minhas perdas e continuar dando vida aos meus sonhos!

De verdade, o gesto merece comemoração e  muita gratidão. Sei que nossos amigos também passam por suas crises, problemas familiares e não poderão fazer muito, mas sabe-los junto é reconfortante e ajuda enfrentar com dignidade o que vier pela frente.

Sou grata a Cissa pela  presença marcante em todos estes momentos, pela criatividade e amorosidade e porque da soma das nossas lágrimas, ela pôs mãos a obra e criou: 



Na abertura vocês verão mais que um carinho porque ela me encheu a bola e o coração com o texto abaixo. Passem lá, basta clicar no link ou copia-lo no seu navegador. 

Vá sem preocupação de contribuir, o que mais quero é a sua visita.

Veja como o amor é capaz de criar e como a crise é criadora.


Bjs e até lá!




"Minha mãe Heide, conhecida por muitos como Nouredini, é uma das pessoas mais fortes e batalhadoras que já conheci. Dela aprendi que tudo posso e que com trabalho vamos longe. Com ela também aprendi que os nossos pilares de sustentação estão na família e nos amigos.

Decidi tomar essa iniciativa, pois quero apoiá-­la neste novo passo da vida e sei que muito de vocês também, portanto, que tal ajudarmos na preparação da casa nova?

Com seu extremo bom gosto, ela criou um projeto charmoso e de baixo custo, mas a hora de colocá­lo em prática chegou!

Aqui você poderá escolher como quer contribuir com este projeto. Em contrapartida, garanto muitos cafézinhos feitos pela própria dona da casa. Vamos nessa comigo??

Um abraço,

Cissa"




12 de dez de 2014

Café empedrado!



Tento ser uma mulher forte, decidida e que tomo todo tipo de providencias . Levo meu carro para oficina, faço manutenção e até troco pneus se necessário, mas cada dia mais percebo que neste mundo da prestação de serviços de pedreiros, carpinteiros, mecânicos etc; as mulheres não são respeitadas.

Esta semana acertei o serviço do piso do apartamento com um pedreiro. Estávamos eu , minha filha e um colega. O pedreiro nos passou total confiança de saber fazer o serviço, estipulou valores e quantitativos dos materiais. Foi ficarmos só eu e a minha filha que os problemas começaram. 

O serviço que disse que sabia fazer ficou difícil e as queixas começaram, o material foi duplicado e ele no primeiro dia já não ficou no local, conforme combinado. Hoje fui lá e descobri que para fazer o piso ele sujou todas as paredes e portas brancas já pintadas. Até as mãos limpou nas paredes.

O que pedi  - cimento afagado ou queimado – está anos luz do piso alisado, escuro e sem brilho  que ele  executou. Os azulejos antigos que comprei já se quebram de pisadelas e ele nem avisou. Agora faltaram peças e o desenho ficou incompleto com o cimento já seco, ou seja, não há mais o que fazer.

Terei repintar todo o apartamento e portas, além de me desfazer das montanhas de materiais que sobrarão, já que não terei onde estocar. Com o caos instalado ele me disse, a senhora pinta de novo e faz uma boa faxina!!!!

A minha vontade foi coloca-lo para fora , quebrar tudo e mandar fazer de novo com outro, mas não dá. Não tenho grana para isto. Terei que mudar com as paredes sujas e o cimento que ele fez.

Sinto falta do um pai do meu lado, de um favor de um amigo ou  de um irmão por perto. A cada dia percebo como sou só nas providencias, eu e as filhas... e a Fraternidade vai se tornando um sonho pouco praticado no nosso entorno.


Ao beber este café agora ele desce salgado com lágrimas e duro como  se tivesse pedras, pedras de cimento!

           ....de amor fraterno, de amizade, de solidariedade...