25 de mai de 2017

Ana Amada, um minuto da sua atenção

Querida,

Lhe tenho um profundo carinho e apreço. Você é uma irmã querida, uma menina que tive no colo por alguns momentos e partilhei um pouco do que no Mahananda recebi.

Sou antes de tudo grata aquela casa, onde encontrei sanidade, conhecimento e força. Através de Nikaya, suas orientações e práticas, conheci a verdade do Mestre muito antes de físicamente a conhecer. Ele é um marco e um exemplo dos ensinamentos da FBU.

Deixei o Mahananda, o que não significa que deixei a Fraternidade. Continuo praticando os ensinamentos até onde os recebi e não tenho buscado em outros lugares porque sei que os ensinamentos dos Mestres são verdadeiros e se voltar a estuda-los até o fim desta vida, ainda terei muito o que aprender.

Como humana e falha, sofro da distancia e da saudade. Me entristeço com irmãos que evitam a fala, o olhar e as mensagens. Ainda que entenda, acho contraditório aos ensinamentos da FBU.

Estou triste que eu tenha sido desagradável, justo com você,  na resposta áspera e lhe peço perdão. Estou publicamente revendo minha posição e pedidndo aos Mestres que me orientem e amparem para que o meu ego não seja maior que a minha verdade.

Continuo a mesma irmã querida e disponível e lhe incentivo a continuar na busca da Ciência Divina no único lugar que conheço e recomendo - o Mahananda. As minhas escolhas são minhas, assim como as consequências.

Lhe abraço com carinho e respeito, Shanti



20 de mai de 2017

O olhar de Adilson, um presente!

 Café, bolinho, beijos e toda minha gratidão ao artista  Adilson Fagundes  que realizou o meu sonho de ter a foto das gordinhas de Ondina.
Este olhar impar de imensa generosidade consegue tornar ainda mais belo tudo onde pousa.
Sempre acreditei que fotgrafia é sobretudo, olhar e no mais, técnica. Contudo, sei que técnica não é fácil e exige conhecimento e dedicação.
O olhar é nato, brota da alma e eterniza tudo em belo : - do simples ao complexo, do cotidiano dificil do rosto suado do trabalhador ao sorriso da criança, que inocente brica na lama suja. Ainda que, por vezes, expresse a dura realidade,  é belo por ser verdade, por ser real e ser instantaneo. 
Com as fotos de Adilson, os matizes religiosos se misturam na beleza da expressão da fé. As arcadas desmoronando do velho centro histórico deixam escapar vida pelas entranhas.
O olhar do fotógrafo transborda a sua alma, que transcende e imortaliza o momento.
Este é o olhar deste amigo. Alma simples e generosa, que realizou este meu desejo.
Quiserá poder ver a sua arte no lugar merecido das galerias e num livro, que saltitante de alegria entraria (ou entrarei) na fila dos autógrafos.
Obrigada amigo, muito obrigada.
#citeofotografo Adilson Fagundes.

18 de mai de 2017

Meu irmão!

Reproduzo em lágrimas de alegria este texto de meu irmão na certeza de que grande é o Pai e a sua misericórdia!
Parabéns walney Oliveira, louvado seja o seu renascimento.

"Hoje completo 47 anos de nascimento. A vida me deu e me tirou, como ocorre c todos. A quem não sabe, ou não sabe exatamente, nesse mês também completam-se 5 anos em que tive a triste e pesada noticia de que não podeira mais exercer a profissão q escolhi. Foram anos muito dificies nos quais sofri e fiz sofrer muito as pessoas mais próximas, em grande parte pela incapacidade de lidar c essa sentença que me retroalimentou os problemas de saude, na forme de agravo da tristeza e depressão. Quem esta mais próximo sabe que em muitos momentos perdi completamente a vontade de viver e agravei ainda mais a situação do núcleo familiar por escolher lutar uma luta impossivel, feita de negacao e ilusao de qua ainda poderia voltar a docencia e a pesquisa. No percurso me isolei, ate de mim mesmo, mas a minha família, de sangue e de vida, se negou a me deixar cair, mesmo sendo muito machucada no percuso. Bateram e minha porta, mentiram para me fazer mover ate mesmo fazendo crer que precisavam desesperadamente de qualquer ajuda q eu ainda pudesse dar, bateram e incomodaram o quanto puderam, mesmo sabendo quantas feridas teriam como retribuição. Alguns sofreram tanto que tiveram que seguir me amando de mais longe, da forma que puderam. Ha 3 anos aconteceu João que nasceu com o incrivel dom de ser feliz com qualquer coisa e apesar de qualquer coisa e foi através dele que a força de todos os “parentes” (como dizem os familiares do Pará) repercutiu num caminho de salvação. Vivi por João, mesmo quando n queira viver e ate recuperar a vontade de viver para poder simplesmente ter mais tempo de dividir o mundo c ele, até que achei vontade de viver para reencotrar e encontrar pessoas, ate q achei caminhos para fazer alguma minima diferença novamente. Também foram anos duros e de decepcoes. Quando achavamos que os tropecos do governo popular que conduzimos ao poder já era grande demais para suportar, fomos, fui, me afastando e caindo em apatia. E quando me comiserava na desilusao politica, sem ver novos caminhos e achando insuportavel seguir nos antigos fomos atropelados pelo golpe que parecia impossivel, depois improvavel, depois reversivel… mas que veio e parecia ter vindo para ficar. E por acharmos novamente que não podia ser pior fomos vendo “tudo se fazer em não” e mais e mais derrotas fui assistindo. Então fui capaz de dizer não, mas sem eco, sem forca e sem fé para fazer grande diferença… mas, como sempre, a vida se mostrou diferente de tudo que eu podia crer… e foram levantano-se pessoas de onde parecia q nunca viriam… e de, repente, o eco de minha voz parecia nivamente ser de nossa voz ateh que fui percebendo, como fosse mae de Henfil frente ao “primo figueiredo”, que não era meu eco… q eu era o eco… q minha voz sai da boca de outros e que se repetiam sons de um passado que plantei junto com tantos outros… e tudo se misturou novamente… fui vendo em mim necessidade, não vontade como me ensinou carlos petrovich, de fazer… de fazer faxina na cassa, de fazer comida todos os dias, de encontrar formas de entretaer e estimular meu tao perspicaz joao… e fui vendo as pessoas ainda ali tão perto, mesmo que tao longe… minha filha Lena Vitória já na segunda metade da casa dos 20, profissional formada e em formação, trabalhadora, lutadora e inexplicavelmente ainda tendo orgulho de mim – eu que já não era nem sombra de mim mesmo… e pesnei q tinha plantado algo… talvez algo q não pudesse plantar de forma semelhante c joao – jamais haveria como ve-lo ter orgulho de um pai aposentado e doente… ateh que na saida da creche havia uma massinha sendo levada para casa. Era semana do “vermelho” e levavam a procao de material não por agrado ou concessao. Levavam para continuar em casa a aprednizagem em torno da cor. Ha quem não saibae também quem ainda lamente, mas joao estah em creche pública, no municipio de Cruz das Almas – e entendo quem ainda se desconsola, pois eu mesmo fique profundamente triste por não poder mais mante-lo na creche particular… a aposentadoria parcial trouxe grande corte de salario, o acumulo de dividas e, com a instalaçao da crise e por nossas mas escolhas, nosso pequeno negocio quebrou retroaliemntando dores e dividas. Mas já no primeiro ano veio a grande surpresa em dscobrir que as creches publicas da cidade são sim melhores que a maioria, senao de todas as congeres da rede privada que aqui existem. Joao inciou na creche com 3 meses, na melhro escolinha que pudemos pagar e, ainda que não entre as tres ou quatro mais caras,era uma das tres ou quatro melhores. E havia vagas sobrando!!! e havia 6 refeições por dia!!! - e, assim sabemos, nos preocupamos em, ao menos, reforcar a alimentação domestica, porque era certo q merenda escolar é precaria. Sempre foi. Ate que descobrimos uma dieta semanal, balanceada e orientada por nutricionistas, preparadas por merendeiras de profissao e qualificas… só que nesse segundo ano de estdudo, primeiro de gestao do mesmo prefeito que, cinco ao longo de dois mandados, cinco anos antes (não elegeu sucessor) havia material ssuficiente para que levassem para continuar a aprendizagem em casa… e ha abundancia de material para cosnumo, ha material para fstinhas e ha brinquedos nvos num parque interno que seuqer existia… então me vi pensado “ainda vale a luta… ainda faz diferença… já valeu a participacao voluntaria (pessoal e “anonima”) na campanha”… e vi rebrotar esperanca e fiquei feliz… descansado e com fe num futuro longuinquo, quiça principiando pela recuperacao da presidencia da republia em 2018… mas veio abril, aniversario de joao, veio a reuniao de pais e voltou a massinha quando aprendi que eu era “o pai que sabia fazer tudo que joao quisesse”… porque, por não saber moldar, amasso de qualquer forma o pedaco de massinha e a imaginação de joao – e dos coleguinhas – ve o cavalo, o cachorro e ate “o-dragao-que-voa-de-verdade-e-conserta-na-mesma-hora-se quebrar-e-se-joao-quiser”… ouvi perguntarem “onde compra esse brinquedo 'pai', minha filha também quer um”...era massinha, massinha toscamente amassada eu que, jogada para o alto “voava de verdade”… a massinha toscamente amassada que me fez ver tao facil e simplesmente possível joao ter orgulho de mim… e então veio maio… maio de “nos de maio”. De quinho, de ricardinho e na minha cabeca tosca tambem de dadau que nem nesse mês nasceu. Amigos tao incrivelmente próximos ainda q se sigam anos sem reencontros ou ateh mesmo qualqeur noticia… maios de “nos de maio”, de tantas outras pessoas que deixaram e passaram a fazer parte do meu mundo… maio em que a injusta justica comecou a ser derrotada por seus próprios pares e na forma da lei que pafrecia, mais que nunca, letra morta, maio em que vi o vleho operario, agora grisalho, viuvo e vencedor de tantas lutas por sua própria saude renascer com folego de operario barbudo e despejar o seu poder de fala que ninguém esperava que tiversse, ou ainda pudesse ter… maio de meu pai que já não esta aqui ha mais de 20 anos, homem calado e trabalhador ate seu ultimo dia de suspiroque vi soar a seu lado e com a presenca tao generosa e injustamente esquecida por mim de Simone, mas de lena. Meu pai foi-se em outbro, vencido pelo cancer, mas não deixou de ser nascido em 1o de maio. Homem calado e cordato, que por tanto tempo imaginei ser aqui que tempos depois aprendi a chamar perjorativamnet de “homem cordial” - ainda crianca vi que não era. Daquela boca calada, de onde cada palavra dita cotidianamente parecia pesar, aranhar como se vomitasse uma “cabeca de frade” se tornava num dragao que cuspia fogo quano da luta pelos direitos de seus filhos. Vi meu pai na boca do velho operario… e já não era Lula quem falava...era eu, era meu pai, eram meus irmaos… então continuou maio, agora novamente mês do trabalhador, tambem mês de vitórias e de felicidade. Era mais que suficiente!!! mas veio mais!!! ganhei uma calopsita de um copleto estranho, simplesmente por ser capaz de amar uma ave deficiente e ver em sua falta de unhas uma oportunidade de mostrar a joao como é bom ser diferente, como é bom amar o diferente… vi uma ave que, sendo rejeitada pela mae tornou-se “mansa” porque alimentada em bico pelo criador, como fazem os adestradores, mas nunca tinha feito ele… era apenas luta por mante-la viva… e vi na ave que unhas e dedos incompletos a talha ideal para ummenino de tres anos que não saberia conviver com os pequenos arranhoes que uma calopsita “normal” faz sem mesmo saber que assim esta fazendo… e nesse ver encontrei a generosidade de receber… e maio pareceu maravilhoso como nunca!!!! então veio mais… veio o crescimento da família com “branca”, uma filhotona que resgatei jutno c joao na rua, incialmente co intencao de tratar e doar, mas a qual imediatamente joao tomou como sua… e branca é doce e esperta como nunca imaginei um cachorro poder ser; -24h depois de chegar mal se aguentando em pe e impregnada de parasitas já brinca esperta e agradecida… muito mais que isso… em 24h aprendeu a sentar, dar a patam subir, descer, andar junto… e maio se fez maio de milagres e maravlinhas… mas não bastou… veio o Isntituto Lula reaberto e veio a noticia de vermos, em plateia cativa, o amargor do noticiario da rede globo, falida e em vesperas de perder a concessao – sem embargos aa própria perda de controle acionario para uma multinacional, dar notica da derrocada do Golpista e, porque esse maio é maior do que pode ser, tambem a impreterivel implicacao do maldizente menino grande mimado e inconformado que não soube aceitar uma simples derrota num único pleito, escolhendo destruir a própria nação por naompoder governa-la… e não bastou… nas vesperas desse 18 de maio fui convidado a votar (e ser votado!!!) na eleição do primeiro conselho colegiado escolar de cruz das almas, na creche de meu joao… então me vi ouvindo pela primeira vez a inimaginavel e subversiva ideia de participacao colegiada na gestao escolar no ano de 1985, quando, igressando na escola tecnica federal da bahia fui aprendendo os caminhos de fzaer diferença no mundo… e vi, nesse maio lembrando justamente de onde conheci as mais profundas e longevas amizades – ou melhor onde teci grande parte da minha família – quando tudo era sonho e tudo parecia ao alcance da nossas maos, da nossa voz e da nossa luta… e me vi lembrando de 1989, ano de nascimento de lena vitória, ano de esperanca quando criamos que um operario poderia ser presidente do brasil… ano em que vi o inimaginale pedido de licensa de uma banda já tida como maldita por fazer show privado no mesmo dia do ultimo comicio de lula em salvador para quebrar a ordem e cantar, mesmo sem um isntrumento e com dois ou tres microfones divididos num palco estreito… vi os titans no farol da barra cantarem “marvim” tendo ao fundo – fundo mesmo, atras de um palco onde não caberiam – a batida do olodum fazendo fundo improvavel e de improviso… e vi nando reis gritar com uma voiz maior do que podria ter no improviso da letra “e se você acredita que um operariopode ser presidente do brasil erga as maos para o ceu e grite 'lula presidente'”. Assiti a isso com minha irma mais chegada Barbara Tercia, a quem nem sonhava em vir a conhecer tantos anos depois… fazia apenas tres dias que lena vitoria tinha cegado ao mundo e faltavam dois dias para a eleicao… 'SIM, ELA IRIA VIVEDR NUM MUNDO MELHOR!!!... mas tudo se fez não… lula não foi eleito naquela vez, nem o seria por tres outras vezes… quando o foi já não era mais o mesmo homem que respondeu a uma estupida provocacao do rival da vez fernado color de melo, depois conhecido como “Fernado I, antecessor de Fernado 2 e das merdas que viriam depois”… não era mais o lula que disse “meus filhis estudam em escola particular e eu uso hospital privado, poruqe sei a diferença entre um lula operario ter o dedo amputado no pronto socorro porque era mais facil do que botar no lugar e de um lula deputado pagando por sirio libantes; sei o que é ser semi-analfabeto e ter um uncio diploma de curso profissionalizante e das oportunidades que tem que pode estudar em boas escolas”… lula daspalavras que nunca esqueci e que me moveram a lutar e a snonhar não existe mais e não foi ele que governou o brasil por 8 anos… nossa luta não bastou para que a escola publica fosse melhorque a escola privada… então na faxina reenconrei o pedaco de massinha… vinda de uma escola publica… e que é melhor que as melhores creches privadas… … … … … … … … e portanto vim pedir socorro… porque não preciso desistir novamente de ver um fulho formado pela escola publica concorrer em pe de igualdade, quica com vantagem com egressos de escola particular… não a exceção da escola tecnica federal, mas a norma que hoje é realidade nas “creches de orlandinho” de cruz das almas… o pedido de socorro é porque não posso fazer só o que decidihoje fazer, nem seuqer c a capacidade que antes tive e que as seuqelas no corpo me tiraram… DECIDI QUE JOAO MANOEL MUATIANVUA MASCIERI OLIVEIRA, menino com “nome de rei” como ensinou pepetela VAI ESTUDAR EM ESCOLA PUBLICA E TABEM VAI ESTUDAR NAS MELHORES ESCOLAS DA REGIAO! Sim é possível e não esta tao longe – o primairo, oginasio e o segundo grau na rede publica ainda estao leguas de distancia de ser como essas creches, mas, com todas as deifciencias e ausencias sobram noticias de filhos de amigos que podem hoje escolher o curso que desejam cursar, ainda que precissem tentar mais de uma vez mesmo sendo egressos de escola publica!! são meninos filhos e netos de pessoa que sequer sonharam em cursar uma universida – alguns tendo o feito ou não – alias, muitos tendo feitos porque ainda que não seja “para todos” o “universidade para todos” trouxe a oportunidade para muitos… muitissimos mais… alias a “tal capacitacao docente do ensino fundamnetal” que não ia acontecer nucna aconteceu… e ingou… e deu frutos…!!! dai que maio foi mês de descobrir que tá facil, tá possível… porque sobraram candidatos na razao de 7, 10 para uma vaga de “conselheiro colegiado”… porque assim foi em todas as escolas e quem não viveu o sonho de assim ser e viveu o assim não ser não imagina o quanto o impossivel se fez cotidiano!!!
então estou aqui… podendo estar matando, podendo estar roubando, podendo estar pentelhando em onibus cheio para pedir socorro para fazer em tempo habil um primario, um ginasio e um secundario para joao que seja melhor do que qualquer escola privada da regiao. Ne maluqice não… se tem mais 7 ou 10 em cada escola disposto a ser mebro de conselho escolar, tem dois ou 3 em aca escola q tope vir junto… e já não estou só… e então decidi que vou promover a rganizacaose uma cooperatica de pais e alunos da rede publica do municipio que, independente dos desejos do poder municipal -mas sempre o contrangendo a assim fazer, construa essas escolar e melhor condicao de vida para as cirancas e famílias, incluindo saude, lazer e renda… que evidencie que é obrgacao de todos contirbuir,,, e que todos podem contribuir
tá pensado é é aa toda??? pra ter o sonho verdade ha que ter projeto, ha que ter metas “viaveis, realizaveis e verificavies”… e então comecando na madrugada de 18 de maio, estabelemos metas e prazos primeiros: 1, fundaremos a cooperativa no inimo tempo possive; 2. NO FIM DESSE ANO AS CRIANCAS DAS CRECHES PUBLICAS DE CURZ DAS ALMAS NAO FICARAO EM CASA DE PARENTES OU EM LOCAIS PRECARIOS E IMPROVISADOS ENQUANTO OS PASI CONTINUAM A TRABALHAR. HAVERA COLONIA DE FERIAS COM LAZER, CUIDADOS DE SAUDE, E CONTINUIDADE DA ALFABETIZACAO. HAVERÁ CAPACITACAO DOCENTE E QUALIFICACAO PROFISSIONAL DE PAIS E FAMILIARES. HAVERA ALIMENTACAO E FELICIDADE, HAVERAH A CONSTRUCAO DE UMA FAMILIA AMPLIADA. HAVERA CIDADANIA E DESCOBERTA DA PROPRIA CAPACIDADE DE FAZR.
- SIM MEUS AMIGOS, ESTOU MAIS VELHO, NAO SOU MAIS O MESMO – NEM MESMO CAPAZ DE SECREVAER O TAL PROJETO QUE ANTE FARIA EM MINUOTS… NE MESMO CAPAZ DE TORNAL MAIS COMPREENENDIVEL ESSA CONVOCATORIA...MAS ESTOU “VIVO MUITO VIVO”… E ESTOU DE VOLTA AA BOA LUTA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!"


16 de mai de 2017

Até numa próxima vida.

Venho insistindo em manter contato com algumas pessoas, irmãos fraternos, que fizeram parte dos meus dias durante anos. O fato é que as comunicações vão raleando. Passado um ano, alguns nem abrem as mensagens, outros abrem e não as respondem.

Uns poucos retornam com alegria de sempre. Outros, respondem por respeito, mas com uma distância visível. 


O fato é que não se faz comunicação com uma única via. A esta altura, creio que o assunto está definido e não vou insistir.  Hoje encerram-se as insistências. Página virada nesta vida.


Continuarei as minhas práticas e insistirei no meu aprendizado, mas não transporei a porta da intimidade de meus irmãos.


Respeito a todos e me despeço com carinho procurando manter as lembranças vivas e sobretudo a gratidão. 


Que a paz e a luz do Creador alcance a todos.


Shanti Om Namah Om


Nouredini.'.



11 de mai de 2017

Mães e seus matizes

A todas mães por escolha, gesto ou determinação; as mães de todas as cores, matizes, crenças e diversidade sexual,  todo o meu desejo é  que tenham saúde,  coragem e alegria para enfrentar a dor e a delícia de ser mãe.

As tias que se desvelam em suprir mães  faltosas ou não,  aos pais que são  pai e mãe; a amigos que são  mães  que nunca  faltam;  as dindas que são  um tipo de mãe  de reserva, todo meu respeito.
As mães  que lutam, que sofrem, as que flauteiam ...a todas um dia alegre e festivo neste domingo.

Um beijo especial a d. Maiuca no seu primeiro dia das mães sem o abraço do seu Zito. Com certeza ele a festeja de outras paradas.

A minha mãe d. Neyde e  ao meu Mestre mãe S. S.hurimahananda toda minha gratidão e respeito.

#citeofotografo Ronaldo de Lima

9 de mai de 2017

Todo dia é dia de mãe.

Partindo do princípio que dia das mães é qualquer dia, aproveitamos a vinda de Cissa a Salvador  e comemoramos neste domingo 7/5, o nosso Dia das Mães. Tive direito a presente, passeio e a escolher o lugar onde almoçamos.

Geralmente cozinho nestas datas, mas para ficar presente e por inteiro, resolvemos comer fora e passear. Fomos ao subúrbio - Camarão da Neinha,  restaurante simples e de comida boa e farta, preço razoável. Vista impagável -  um marzão e o sol a brilhar.

Rimos, rememoramos bos momentos e construimos outro quinhão de boas memórias, que nos confortarão no futuro. Me sinto feliz e contemplada pelos fillhos que a vida me deu - Agnes, Cissa e o meu genro Beto.

Para fechar a tarde teve café e bolinho, como de costume.

Beijos crianças, adorei.





7 de mai de 2017

Farinhas trocadas

Na sexta recebi a ajuda de um amigo e no momento pude retribuir a gentileza. Como se diz no popular...farinhas trocadas.

Deveria ter ficado feliz e satisfeita,  mas no caminho de casa me peguei chorando. Na verdade, as farinhas foram trocadas pelo porteiro. Não nos vimos, não nos falamos.
A amizade perdura, mas a distancia impera. Havia literalmente um muro entre nós.

Sei que devemos respeitar o jeito de ser de cada um, mas sai angustiada e me perguntando como podemos estar tão próximos e tão distantes. O que é de fato amizade? Há uma necessária relação entre amizade e intimidade?

Assim, cheia de interrogações peguei a estrada ruma a minha casa e fui sentindo que as lágrimas rolavam devargar e indecisas pela minha face.

4 de mai de 2017

...o tempo passou e só restou a lembrança

...
Do blogger seuguru.blogspot.com (2013) num comentário ao cafeebolinho

Eu, por Nouredinha! (Nouredini+Dinha)

“ Purê de banana da terra, picanha e risoto de carne seca, depois um licor com cafezinho.

 Algumas pessoas se expressam com palavras escritas e faladas com tamanha propriedade, que conseguimos sabe - los só de ouvir ou ler o que produzem. Já lhes falei do Seu Augusto e sua forma impar de dominar as palavras. Outras pessoas pintam, bordam ou desenham, dando vida ao que são com os mais variados recursos.

Tenho a sorte de conhecer e amar alguém singular de escrita impecável, mas que tem na musicalidade que lhe invade a alma e na arte de cozinhar, sua expressão mais plena, seu retrato mais fiel.

Paulinho não fala, canta. Ele é incidental no seu repertório variado e de bom gosto. Há uma música para cada momento, seja alegre, triste ou poeta, como diz Caetano Veloso. Ele é “assim, sei lá, meio passional por dentro”. Fala de amor, cidadania, família, tristeza e alegria sempre cantando e contando aos seus botões as suas muitas histórias vividas.

Não bastasse a musicalidade, se expressa pelo cuidado e atenção na cozinha fazendo uma combinação de agrados, mimos, sabores, odores e muito visual que enche os olhos e a barriga de quem ama. Parte do princípio, que barriguinha cheia é plena felicidade.

Cozinha para os filhos, amigos, irmãos e amadas. Prepara de mamadas a bacalhau com o mesmo cuidado, a mesma dedicação e fica esperando que cada um se alimente e se sacie para então sentir-se realizado.

O menu de hoje que dá título a este post é prova de que ele não é um homem só para ouvir , mas também para degustar e, que lhe valha a amplitude da expressão, que aqui declaro.

Em breve ele virá a Salvador e poderemos desfrutar de suas muitas habilidades, inclusive as proibitivas para este espaço.

Salve seu Paulinho, um homem de Oxum com todos os seus dengos, com a força conferida por Ogum e paizão que nem Oxalá. Salve, Salve a Bahia lhe espera de braços e coração aberto!”.

-Talvez Dona Dinha tenha me pintado com as tintas e cores do imaginário de Bajado, de certo, mesmo, só o cardápio que “ajeitei” para a família aqui em Goiânia; de todo modo, gosto de cantar de ler e escrever - tento passar estes hábitos aos meus filhos, nem sempre tenho sucesso - gosto de cozinhar para quem gosto e amo.

Assim sou eu, que nem o imbondeiro - árvore africana; tem uma entre o mar e o CLDC em Camp Malongo, que ainda hoje habita, junto com meus miúdos, minhas recordações - seu imenso tronco é capaz de dar abrigo a muita gente.


1 de mai de 2017

Seu Vavá

Meu pai, um homem cheio de uma pedagogia intuitiva e  que brotava da sua infinita capacidade de construir e reconstruir a vida.
Obrigada de todo meu coração.

Beijo as suas netas Agnes Bezerra e Cissa Bezerra como uma lembrança viva de sua presença. 

Oferto todo meu carinho a sua eterna companheira Neyde e aos meus irmãos Neima Oliveira Neiva Costta e Walney Oliveira e todos os sobrinhos João, Lena Vitória e Joana Oliveira.

Somos você hoje e amanhã porque você continua em nós.

Com amor,
Shanti Om Namah Om