21 de fev de 2014

... e nem foi conversa de pescador! !!


Primeiro passo um café e sento no sofá para lhes contar está história, que até parece estória de pescador, mas acreditem é a mais pura verdade!

No domingo voltei da casa do compadre e no meio da semana já tinha novidades de lá . Soube pela Internet /Facebook que ele encontrou próximo a sua casa , boiando nas águas, uma bolsa plástica com um celular.
...Aí começa a ficar interessante: - o tal smartphone estava perfeito e funcionando!!! Incrível? Não,  incrível é o que vem a seguir. Bem criado por D. Célia  e seu José Bezerra,  aprendeu que se  deve procurar o dono e devolver. Incrível?  Não, normal na nossa época!

Cado,  entrou no face fez  uma busca, deixou recado e localizou o dono. O dono achou incrível dois fatos: - o celular navegou 12 km saindo pelo mar e encontrado, estava sendo devolvido!!

Incrivel é que todos que comentaram no Facebook estavam mais espantados com a devolução,  do que com o fato do celular boiar  intacto por 12km, num percurso que envolve correntes,  navios, lanchas etc.

Como está mudado o mundo!

Um dos amigos do dono do celular ficou intrigado com a coincidência de quem achou e postou...  Meu tio achou seu celular!!! Os amigos não  queriam acreditar que o mundo fosse tão pequeno.

Entrei no face e postei em defesa de Lipe dizendo que ele  é sobrinho do compadre, já que  a mãe dele é a  boadrasta das minhas filhas!!!

... Por um breve momento passou-me uma idéia maluca... vai que  o Chagas,  sobrenome do dono celular,  seja de um amigo/irmão do pai do meu compadre!!!!
Para que vocês não pensem que sou louca, falei isto para minha filha. Não deu outra!!

O celular  é de Renan Chagas , que agora descobrimos ser sobrinho  de tio Toca, que é padrinho de Antonio Carlos Bezerra, pai das minhas filhas e irmão do meu compadre. O  nome de Cado, meu compadre,  é Carlos Herval Bezerra  porque Sr. Chagas,  bisavó de Renan Chagas assim  escolheu.

Resumindo para quem quiser acreditar... Renan perdeu o celular no Porto da Barra  em  Salvador;  que foi parar boiando em Tairu na ilha de Itaparica, próximo a casa de Carlos Herval,  após 12 km de travessia do mar, intacto.

Cado ligou para devolver. Felipe viu no face e disse a Renan que Cado é tio dele. Renan, não acreditou. Eu soube, intervi e disse que Felipe é filho da boadrasta de minhas filhas com Tom. Tom é irmão de Cado que achou o celular e sobrinho e afilhado do tio Toca de  Renan. Tio Toca é filho do homem que escolheu o nome de cado é irmão do padrinho de Cado , que se chamava Herval também e todos foram Unidos pelo celular navegador, que não foi engolido pela baleia!!!

Depois dessa, só um café forte o mundo gira....




As fotos são da praia onde foi encontrado o celular, o celular e a bolsinha protetora e noção da distância de  1/2 do percurso, numa foto tirada do ferry.
Não coloquei as fotos de Renan e Cado porque não pedi autorização. 

Um comentário:

  1. A conversa pode não ser de pescador mas que tio Felipe fez uma óptima pescaria, não há dúvidas...Com um só anzol pescou um celular e um sobrinho...Parece telenovela mexicana...Só é pena, como se friza, que as pessoas atentem mais na honestidade do achador do que na envolvente dramática de uma viagem de tantos quilometros sob os efeitos dos elementos de um objecto fugido às mãos do sorinho para as do tio, como se guiado por forças ocultas e inexplicáveis! Grande peixão!
    Bjs
    Zito

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Deixe seu comentáro, enquanto passo nosso cafezinho.