19 de fev de 2014

Férias, um café curto ou longo?

Costuma-se dizer que o ano só começa depois do carnaval. Há um certo exagero na  afirmativa,  mas também há um pouco de vere.
...o orçamento público só abre em fevereiro ou março; as aulas começam em fevereiro num clima de crescente até tomar pique após o carnaval e se não bastasse, as minhas filhas fazem aniversário em final de fevereiro e início de março. 

Aliás, os 40 dias sem carne ( carnaval) marcam um período mais reflexivo que antecede a semana santa.
Este ano até tirei eu  férias em fevereiro, já que no trabalho estamos esperando um novo contrato e em janeiro se prestou contas de tudo. O compasso é de espera. 


Eu também estou me sentindo assim esperando o carnaval passar...As férias já começam a cansar e já não alegram. Começo a sentir falta do trabalho!
Já viajei,  fui  a praia, tomei sorvete e cozinhei. Também futuquei a terra das plantas e fiz compras. Viagem curtas, médias e curtidas num misto de diversão e contemplação.
Li pouco e escrevi menos. Ponderei muitas coisas ao som da maré e ouvi meus pensamentos junto com o vento dos coqueiros. 


Descobri que há uma diferença entre sentir-se sozinha e sentir-se solitária. Nunca estaremos sozinhos, se assim quisermos , mas em muitos momentos somos solitários.
Senti falta de coisas como a minha cafeteira espresso e de pessoas. Há coisas e caminhos possíveis de serem refeitos e trilhados.
Tenho certeza da importância do meu trabalho na minha vida e de que as férias deveriam ser mensuradas pelo seu titular. Sei que não abusaria da confiança e teria a mesma quantidade de dias, só que em  3 períodos de 10 dias no lugar de 30 dias corridos, que acabam sendo longos demais para mim.


Férias....bem que poderiam ser como o cafezinho curto e na medida, disponível sempre que precisamos de um reforço no corpo ou na alma!
Beijos queridos, na próxima vou lhes falar de uma parada em Humaitá

No ferry voltando de Tairu
Frente e flores do cumpadre Cado, a quem sou grata e essa ultima foto de quando deixei Salvador (fui voltei com o sol de verão na baia e na Bahia de Todos os Santos!)

7 comentários:

  1. Olá amiguinha!

    Café curto,longo ou em duplicado, conforme a ocasião, mas sempre bem vindo...
    Bonitas fotos, bonito o que elas captaram, e o que nos convidam a adivinhar de como são esses lugares. Já estou a sentir inveja, mas uma inveja sem maus fluidos, por não estar aí também.

    A Nouredini já regressou, foi benéfica a pausa no trabalho, e essas andanças por paragens diferentes, isso foi mesmo o ideal. O Carnaval já "ali vem", e logo, logo, já passou...

    Apreciei bastante o seu texto, sinceridade em pleno da sua parte.

    Beijinho.
    Dilita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Sou sincera em dizer que prefiro as férias curtas e com gosto de quero mais.
      O trabalho me faz falta e dele prefito tirar breves descansos. Tenho que começar a trabalhar sobre isto porque não tarda e vem a aposentaforia.
      bjs

      Excluir
  2. Eu só sei que os solitários não costumam sentir-se sós: basta-lhes a companhia de si próprios...Dos sózinhos, desses eu tenha pena mas, Nouredini, você nunca estará só, a não ser físicamente, pois está sempre nos nossos pensamentos, nas nosas nostalgias dos mundos lindos que V. percorre e convive connosco, numa partilha de sensações, sentimentos, convicções...Três períodos de férias de 10 dias sería perfeito, ou mesmo quatro períodos de uma semana...Porque não? Não dizem que meia hora de sono depois do almoço aumenta a produtividde no segundo período de trabalho? Quanto se sentir só, minha amiga, "pense à moi"!!!
    Je t'embrace!

    ResponderExcluir
  3. Me sinto abraçada pelo seu imenso carinho.
    Penso que sozinha nunca estou porque estou conectada aos amigos fraternos, mas solitária às vezes, sim.
    beijos com chuva de verão.

    ResponderExcluir
  4. Aqui, viajo sempre por ilhas imaginàrias, sobretudo a uma no centro do rio Loire, que so eu conheço, onde vou de barca, mas penso que também viajo hodiernamente a uma maior, e não virtual, onde passei os melhores dias da minha vida, por onde estiveram o Zito e o Djack. Por isso, quando considero a viagem que a Nouredini acaba de fazer, sinto dentro de mim um montão de nostalgia como o disse alguém dahi do Brasil "uma tristeza alegre".
    Que sorte, mulher !!! Mesmo curtinhos estes passeios sabm bem porque levam-nos a lugares de sonhos.
    Bom fim de semana (num ou noutro lugar).

    ResponderExcluir
  5. Que seja bom o nosso fim de semana e querendo conhecer de perto, só avisar!!!
    Abraços de fim de férias.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Deixe seu comentáro, enquanto passo nosso cafezinho.