27 de jun de 2017

Quando bate o desânimo

Sinto falta de um tempo onde um banho frio  e um café forte me animavam e estava pronta pra luta. Hoje, nem uma baita injeção de vitamina B pela manhã me trouxe pique ou ânimo. Chamo a este tempo de desencanto.

Sinto uma tamanha tristeza com meu Brasil, com falência das instituições de todos os Poderes, a desfarsatez virou normal ou pior normose. O Supremo é uma instituição falída e manipulável.

No meu cadinho, o trabalho não tem me animado. O povo continua na pobreza e nós afundados em burocracia para atende-los. Nunca foi tão urgente me aposentar. Quisera poder ser amanhã. Menos dinheiro, muito menos, mas menos desgosto.

Estou preste a saltar do trem ou abandonar o barco. Covardia? sim, mas sobretudo cansaço. Vivi dois impeachement de presidente , um justo e um injusto e agora, o primeiro presidente denunciado por roubo, corrupção e safadeza em pleno mandato.

Vejo um senando arquivar um processo contra um Senador, que além de flagrado recebendo malas de dinheiro, tem inqueritos relativos a drogas - um helicoptero cheio de coca em seu quintal.

Um médico que estuprou quase 30 pacientes, foragido, pego em outro país após longa cassada, condenado a 181 anos de prisão, ganhar o direito a prisão domicilar porque está com uma leve bronquite.

Acho que que hoje fui vencida pelo cansaço e pelo desânimo, que um dia nos pega pelo pé. Tamara Deus seja passageiro e tudo volte ao normal.

Que o Pai me valha,

Nouredini




2 comentários:

  1. Que fazer? Erguer a cabeça e continuar a batalhar, não há escolha.
    De facto é triste e desolador - O Brasil um País grande, rico e belo, dotado de posses para muito fazer e contudo tem tanta coisa ruím que nem vale mencionar. A actual causa política mais parece uma meada torcida e inósilhada impossível de dobar. Haja esperança amiga, a bonança terá de vir.

    Por cá ainda não se apagaram as recordações daqueles dias em que a tragédia deixou um rasto de destruição e morte. Todos lamentamos horrorizados pensando no sofrimento de quem pereceu. E na mágoa dos familiares, como hão-de ultrapassar tal desgosto...
    Não escrevi nada no blog, não fui capaz.

    Beijinho, amiga, e apélo aquela alma forte que se chama nouredini, eu sei que ela por vezes desanima mas a seguir vai em frente. Um bem haja!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amiga,
      orei pelas vítimas e pelas famílias. Acompanhei os comentários de Seu Olímpio.
      Quanto ao meu ânimo, todos nós temos nossas caídas. Felizmente passa e já estou de pé. Amanhã tem greve geral e irei a rua protestar.

      Excluir

Obrigada pela visita. Deixe seu comentáro, enquanto passo nosso cafezinho.