12 de dez de 2013

Café de sentinela


Amigos são irmãos escolhidos, mestres tenazes e cumplices frequentes. Amigos são extremados e vão do afeto ao desafeto num rasgo de segundo, basta uma referência a um dos  seus.

Amigo é um cumplice que lhe conhece pelo tom da voz, pelo semblante, pela pisada e até pela risada. Amigo verdadeiro, espana poeira para que ela não lhe incomode em dias difíceis e come poeira de longas estradas para lhe realizar desejos. Amigo ralha feito mãe velha mãe e chata tentando trazer-lhe a razão e mesmo tendo avisado várias fezes, jamais repete o  bordão:- eu lhe disse!

Quando um amigo cai, cabe o outro levanta-lo; mostrar-lhe porque caiu , revisar o caminho e juntos acharem uma alternativa. Um amigo é um porto, um esteio e freio para os sem juízo. Um amigo é você no espelho do outro e ele no seu. Se assim não for, não é amizade.

Hoje movida pela dor fico pensando se existe ex-amigo e me respondo que não. Amigo é um estado permanente, que pode passar por breves licenciamentos, por falhas de um ou de ambos.

O princípio do budismo diz que tudo é impermanente, então amigo também é. Entretanto, a amizade é um princípio e um valor, cabendo assim duração. A amizade por ser um princípio,  pode ser permanente, mesmo que o ente amigo não o seja. Confuso? Sim.

Em verdade, devo estar arrumando conceitos e formas para minimizar a minha dor de constatar a perda de um amigo de anos, uma relação de décadas que se esfacelou e não há cola que recomponha. Nem mesmo usando Fátima (lembram daquele post sobres Fátima/esmalte e cacos do meu coração?), que consiga colar cacos tão miúdos e de louça tão fina, talvez tão preciosa quanto um cristal.

Uma amizade que já sofrera todo tipo de abalos, mas sempre bem acondicionada em nossos coracões se quer trincara ou apresentara quaisquer marcas, mas desta vez espatifou-se em uma mesa de reuniões e voaram cacos para todos lados.

Fico assim de luto em pleno período natalino, onde normalmente se festeja. Sei que todos os meu amigos me são caros, mas a perda de qualquer um deles é um buraco, uma dor profunda e um sentimento que rogo aos Céus que passe.


Sou grata aos mais de 30 anos de nossa amizade e o respeito por todos bons momentos. Mesmo em dor, lhe desejo uma longa vida e uma boa caminhada.
 

6 comentários:

  1. Há amigos por cuja vida daríamos um braço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a este em especial, independente da remuneração que recebo, dedico no mínimo 1/3 do meu dia.

      Excluir
  2. Olá querida Nouredini

    Primeiro um abração pelas visitas ao meu cantinho, e pela gentileza com que me presenteia. Sim, porque um abracinho, um beijinho, uma palavrita, numa passagem a correr diz tudo. (Lembrou-se de mim, digo eu) E eu já tenho dito e repito gosto muito de mimos. E registo e guardo todos os carinhos que recebo.

    Nesta passada madrugada, escrevi umas palavras, sinceras como sempre, tentando colmatar a minha falta, explicando o motivo de ainda não ter respondido, e que escrevia pouco porque aquela hora era tardia (perto das duas da manhã) e eu queria ir deitar... Mas não sei porquê, o comentário não chegou ao seu blog.

    Minha amiga lamento essa perda que a machucou, e só desejo que tenha a coragem necessária para superar. Tem de ser a Nouredini a revestir-se da força necessária para isso. E vai conseguir, MULHER TEM QUE SER FORTE !!!!

    Escrevi ao Zito nosso amigo no post da fotografia. Oxalá ele leia. Não gostei do que ele "não" escreveu nas entre linhas, mas que pensou... Ora, ainda está tão fresquinho, e vai pensar no que pode acontecer... Valha -me Deus com estes projectos...

    Amiguinha, um beijinho, e boa noite.
    Aqui são neste momento 20 horas e 15 minutos. Noite fechada, e chuva miudinha, e 13 graus, não é muito frio.
    É inverno ás 17 e 30 já era noite.Foi quando fui lanchar aqui em casa com a minha filha. Ela preparou; cafésinho, e uma torrada de pão com compota de morango. Soube -me muito bem.
    Não foi café e bolinho, mas foi uma aproximação.
    Ainda um abraço, da Dilita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida,
      Que alegria te-la comigo para partilhar o café. A prosa ainda que não seja das mais alegres, sempre pode ser compartilhada com os bons amigos.
      Abraços e beijinhos aquecidos

      Excluir
  3. Olá! Grata pela visita ao meu espaço e vim retribuir.
    Parece que o momento, apesar do Natal estar por perto, é de alguma tensão, de algum... ou bastante desconforto. Acontece muitas vezes ficarmos tristes e desiludidas com os amigos.A mim já me sucedeu várias vezes e, vou aprendendo a estar mais atenta e procurar manter alguma distância para depois não sofrer mais decepções. Gostei do seu texto e da forma como explica a sua dor por uma amizade que findou.
    Estou certa que o tempo se encarregará de lhe trazer a "cura". Beijos de Portugal.
    M. Emília

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beijos minha querida, grata pela visita.
      com certeza posts mais alegres a esperam!

      Excluir

Obrigada pela visita. Deixe seu comentáro, enquanto passo nosso cafezinho.