30 de jul de 2015

Bolo de casamento.

A minha filha mais velha vai se casar. Desde maio mudou-se para o apartamento do namorido e estão em providencias. A oficialização é uma opção deles, assim como ter ou não ter comemoração.  Acho que cabem ao casal tais decisões.

Nunca alimentei sonhos  de casar as filhas em modos convencionais, vestida de branco e ornada em flores, mas me confesso feliz que tenha decidido avisar aos pais, mães, tios e primos. Encontros felizes geram boas lembranças e lembranças s é o melhor patrimônio.

Não haverá cerimônia religiosa porque são de diferentes credos.  A união será legalizada para facilitar a vida de ambos e depois almoçaremos juntos, ambas famílias. Não tenho nenhuma intimidade com os pais do casal. Aliás, conheço a mãe, a irmã e alguns tios que encontrei num almoço. O  pai do noivo e a madrasta conhecerei no dia do casamento.

Assim, uma nova família surge.  Não reclamo de ter sido rápido porque casei mais  rápido que eles e em muitas ocasiões.  Acho esquisito conhecer a maior parte da família no dia do casamento, mas a de cisão é dos noivos e me cabe acatar.

A minha filha tem estado feliz e isto é o que mais me importa. O meu genro é bom menino, agradável e cuidadoso.  A minha outra filha em participado nas providencias, então está tudo certo. Que siga o curso e desague em alegrias.

Uma novidade me deixou feliz: terá bolo porque casamento sem bolo não tem graça.

Cuidem de ser felizes!


Foto web

2 comentários:

  1. Pois claro: casamento sem bolo não tem graça...E sem amor, também não!
    Quando meu Paulo Jorge fez uma festinha quase íntima para "oficializar" a sua união de facto com a terceira tentativa, escrevi-lhe uma carta - aliás a ambos - com os lugares comuns habituais e uma recomendação ultima: fosse qual fosse o destino da sua união que jámais deveriam perder o respeito mútuo!
    Desejo o mesmo à sua filhota e...que venham os netos!
    Braça jubiloso,
    Zito

    ResponderExcluir
  2. Olá Nouredini !

    Eu já nem peço perdão porque não mereço... A Nouredini sempre presente no meu birras, e eu muda que nem parede gelada. Isto não tem desculpa, repito. Só hoje vim dar uma palavrinha às amigas, e ainda não a todas.

    Ando com o "sistema métrico" avariado... Manias a multiplicar... Estou à espera que pásse, pois o psiquiatra é careiro.

    Eu tenho aqui vindo e gostei de saber que escolhia os linhos e as rendas de birras para servir o cafésinho italiano...
    e também de a saber feliz (depois do susto) com as manas em sua casa, juntas como no passado...

    E hoje aqui estou para um abraço, pela sua mudança de estatuto - vai passar a ser, SOGRA !!!!!!!!!

    Que esse casamento seja a certeza duma felicidade a dois, se possível duradoura.
    Dilita

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Deixe seu comentáro, enquanto passo nosso cafezinho.