14 de ago de 2016

Saudade que transborda os zoio

Hoje apesar de ser dia dos pais e não  ter o meu mais por perto, sei e sinto ele presente em mim  nos meus jeitos e trejeitos. Sou resultado dele e dos meus ancestrais.

Me sinto contemplada e confortada com isto. Sou grata ao meu pai por tudo e, principalmente, por coisas que só  agora entendo. Fico feliz em dizer que ele fez o melhor e deixou legado e boas memórias, que serão  lembradas por nos filhos, netos e muitas gerações. A minha saudade dele  é feliz e sossegada. Conforta mais que doí.

Também, sou feliz em acordar e puder ligar para o pai das minhas filhas e, com alegria verdadeira, desejar um dia feliz e ainda receber um convite para o almoço.  Afinal, fazem 41 anos que nos casamos e 33 que nos separamos. São  muitos anos de respeito e amizade e isso é uma vitória.

Hoje a saudade que  bateu  dolorida foi de um fraterno, um orientador meio pai, irmão  e conselheiro por mais de década.  A saudade foi dessas que faz frio, transborda água nos olhos e nos leva a enviar os melhores sentimentos de gratidão  e vibrações  de amor fraterno. Uma saudade qual chuva miúda, que cai pouquinha, mas encharca e faz tremer.

A você  meu irmão Nikaya,  que tantas vezes já agradeci, aqui vai mais uma vez o meu "obrigada" e a certeza do meu respeito e amor fraternal.

Babaji seja contigo e um dia nos reencontraremos, nesta ou noutra vida.

Shanti Om Namah Om






2 comentários:

  1. Por aqui, o Dia do Pai é a 19 de Março mas, do meu ponto de vista, Dia do Pai, da Mãe, dos Avós, são todos e cada dia do ano, principalmente para quem, como nós, se orgulha dos seus ancestrais e os conserva carinhosamente, no coração!
    Bjs
    Zito

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Deixe seu comentáro, enquanto passo nosso cafezinho.