13 de jun de 2014

Café com pão de Santo Antônio

Santo Antônio casamenteiro não vos peço marido, já seria abuso. Depois de tantos, resta-me o consolo das lembranças e uma fogueira de viúva.

Fico pensando se deveria fazer-lhe uma homenagem e um pedido pelas minhas filhas, sinceramente, não sei. Faz tempo que casamento não é alternativa e elas vão muito bem, obrigada. Trabalham, estão felizes e são independentes.

Nem sempre um companheiro é sinônimo de alegria e bem estar. Prefiro vê-las livres a planejar o futuro, que inclui viagens, estudos, diversões e muitos amigos. Sei que tudo isto é também possível  de ser realizado junto com alguém que se ama, mas convenhamos é muito mais difícil de conciliar agendas, gostos e despesas.

A minha filha Cissa costuma dizer de forma simples e sem rodeios, que 1+1 deve ser no mínimo 2. Parece obvio, mas conhecemos muitos casais cuja soma é negativa para ambos e já passou do tempo que era imperativo a uma mulher ter um marido e protetor.

Então Antônio Santo, por vossa luz dai a elas  força, trabalho, saúde, fraternidade e capacidade para viver a vida com dignidade, divertir-se com consciência, construir com fraternidade e ser cidadãs do mundo, o que lhes é a vontade.

Como em todo bom dia de Santo Antonio farei café com leite e espero ganhar o pão de promessa, daquele pequenino, que se coloca nos mantimentos para ajudar a não faltar. Vibro para que o pão, na forma de esperança, comida, trabalho  e dignidade não falte nos lares do mundo, independente de fé, credo ou religião.

Aos Antônios, Antônias, Antoninas, Antonietas  desejo que sintam-se felizes e honrados com seus nomes.


Já fui mulher de um Antônio e garanto, Antônio é bom homem!




As duas últimas fotos são da web e foram colhidas sem autorização

4 comentários:

  1. Cissa, bom, mesmo é quando 1+1 é igual a 1... O Santo António de Lisboa, não tem chapéu (^) e cheira a mangerico, sardinha assada pingando ómega 3 em broa de milho e folia no Bairro Alto, Alfama e quejandos e goelas sedentas de água-pé cantando o fado e as marchas dos bairros desta Ulissipo milenar...Mas também é casamenteiro, além de folgazão, popular e adorado até por aqueles que se dizem ateus, graças a Deus...Longa vida a todas as Antónias e Antónios, incluindo meu irmão, António (Augusto)!!!
    Bjs
    Zito

    ResponderExcluir
  2. Só os que conhecem e tiveram a feliz oportunidade de tanta identidade com seus companheiros para tornar-se um, entenderão o que dizes.
    Esta experiência deve ser tão boa quanto o cheiro e o gosto desta sardinha, que me deixou de água na boca.
    Aliás, as duas coisas me deixaram assim, mas creio que para uma delas só na próxima encarnação...kkkk.
    Por cá o "O" de Antônio é fechado e leva chapéu, mas bonito mesmo é o apelido do seu irmão - TUTA. Diria que o mais belo que já vi dentre os que conheço ....Tom, Tuca, Tô, Toca, Tonho, Tuninho...............
    Abraços com pimenta para as sardinhas!

    ResponderExcluir
  3. SÓ UMA PALAVRA: SARINHA SÓ LEVA SAL GROSSO, MARINHO...DE PREFERENCIA, FLOR-DE-SAL...
    Bjs, salgados
    Zito

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Deixe seu comentáro, enquanto passo nosso cafezinho.