9 de abr de 2016

O mistério da bolinha de sabão

"Com arinho de arame retorcido e enrolado no barbante, como vovó Neide ensinou ao papai fazer "
Assim começou um comentário do meu irmão  que ensinou o pequeno João  Manoel a soltar bolinhas de sabão.  Confesso que li com os olhos úmidos e com o coração  cheio de uma gostosa nostalgia, um misto de lembranças minhas, dele e de tantas outras crianças que foram e são  felizes com algo tão  singelo e feito de água,  ar,  sabão  e amor.
Respondi ao meu irmão  dizendo-lhe da minha emoção,  dos meus olhos úmidos  que juravam ver as bolinhas que fiz, as que  ele fez e as que ensinei e vi as minhas  filhas soltar ao vento. Todas vieram da mesma fonte: - nossa mãe nos ensinou.
Na resposta dele todo grandeza de um patrimônio impagável  de memórias:
"Lembro dela torcendo o arame e enrolando o cordão, tirado da bolinha ( de cordão)  que era alimentada com o barbante que amarrava o papel de embrulho do pão... Um mistério para meus olhos de criança porque fazia sem explicações de onde aquilo terminaria... Contava apenas que no "hoje" ,daquele tempo, era fácil ter cordão, pois era só juntar o que chegava fácil, da padaria e das vendas, muito antes dos saquinhos prontos, de papel ou de plástico. Dizia que "vovó Idalina ( nossa bisavó) plantava o algodão, tecia o fio e trançava o barbante".
De repente, arinho cheio, voltava da cozinha com um copinho cheio de agua e sabão e era ai que a magia comecava, recomeçando para nunca mais terminar...
Assim meu irmão  viveu nossa bisavó  em nossa mãe , ela em nós  e nós  nas nossas filhas  e filhos e assim, nossa mãe como nossa bisavó Idalina vive e viverá por gerações. Deles um novelo de amor sem fim continuará  a tecer amor e boas lembranças.
D. Neide, hoje molhei as plantas, tomei café e colhi pequenas flores junto com a senhora.
Obrigada minha mãe, obrigada Walney
Em tempo, vejo um comentário  da minha irmã  Neima, que fala de como as bolinhas de sabão  da nossa mãe a levou a matemática:
"Sabe por que sai so bolas porque sendo a bola igual a uma esfera é uma  supreficie estável. Quando estudei isso nos anos 1990 entendi porque não conseguiu fazer bolas quadradas, tentei muitas vezes.  Ai os matemáticos alagoanos prof Manfredo e Hilário.  E muita conta ai!"
Obrigada Neiminha.


Um comentário:

  1. ...E as lágrimas me molharam os olhos,numa pequena parada das atividades sabáticas !(escreveu no facebook nossa irmã Neiva , que aprendeu com nossa mãe e ensinou a sua filha Joana.

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Deixe seu comentáro, enquanto passo nosso cafezinho.