3 de nov de 2016

Gira o mundo de Raimundo

Um novo tempo se abre. Retomei o trabalho e os colegas fizeram o  possível para que nada se acumulasse. Cortaram um dobrado e lhes sou grata.

Aos poucos me reintegro a rotina, mas ainda estou "assim, assim" nem sol, nem chuva. Dias corre tudo muito bem e outros a pressão cai e ou açúcar se embola. De pré diabetes passo a hipoglicêmica. Tudo isso vai se organizar em cerca de mais um mês. O corpo, como tudo precisa do seu próprio tempo.

A cada dia me surpreende a capacidade de adaptação que temos e como podemos recomeçar a cada dia. Esse é o grande milagre da vida e esse nosso trunfo contra tristeza e infortúnios.

Viva porquê podemos e porquê que queremos!

Bjs e sejamos felizes!





8 comentários:

  1. Este nosso corpo tem segredos que ainda falta desvendar e, juntamente com o poder da mente, consegue aquilo a que se convencionou chamar de milagres quando, com a ajuda da ciência, se recompõe a cada passo, numa rotação de causas, efeitos e correcções que, com o andar dos anos, se transformam em rotinas de sobrevivência e reconciliação com as forças cósmicas que comandam a nossa existência...
    É o esplendor da vida na sua essência de dádiva suprema que nos compete preservar e resguardar das agressões das forças do mal...Nós somos, afinal, eternos e em cada um de nós reside uma Fenix!
    Até à consumação dos séculos...
    Que a Paz seja connosco!
    Zito

    ResponderExcluir
  2. "As flores são uma criação de Deus que não lhes deu alma".
    Por estes lados chega de mansinho o inverno e so os corajosos utilizam os ciclos para trabalho e não para passeios bucôlicos. Vou guardar a bicicleta da Nouredini com as que tenho para quando chegar o Verão, esperando que as flores estarão secas mas vivas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo, uma confissão de último minuto... não sei andar de bicicleta, jogar buraco, assoviar de 2 dedos e nadar...ainda é tempo para alguém me ensinar. Candidata-se?

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Embora a minha boa vontade e disponibilidade não posso ser de muita utilidade.
    Nasci a 500 métros da praia e não sei nadar (pergnte ao meu pai); não sei assoviar de 2 dedos ("isto não é coisa de gente mal educada", dizia ele). Ainda: não conheço nenhum jogo de cartas e nunca fumei um cigarro (sempre o papai) mas... pudemos ir de bicicleta tomar um café. Tà ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, vou na garupa.
      Fumei áreas vezes o cigarro, mas gosto de charuto.
      Abraços apertados.

      Excluir

Obrigada pela visita. Deixe seu comentáro, enquanto passo nosso cafezinho.