17 de jan de 2017

Férias, para quê te quero?

Vejo sempre as pessoas zunindo feito abelhas a ziguezageuar quando se aproximam as férias. Para minhas filhas férias é sinônimo de pesquisa de roteiro antecipado, dolares ou euros poupados,  passaporte e malas.

Pedi minhas férias para janeiro porque no janeiro passado, o plantão foi meu. Entretanto, uma licitação de estudos que se atrasaram acabou por me deixar trabalhando e, só ontem 16,  iniciei as férias.

Não fiz programação e posso ter que voltar logo, pois teremos a segunda etapa da licitação. Não acho de todo ruim. Não tenho muito o que fazer ao longo destes dias.

A viagem a Portugal foi de novo adiada, apesar de minhas filhas, recém chegadas da Espanha,  já terem provado que tenho milhas e condiçöes, mas em verdade, não estou com espirito de viajar.

Adoro meus amigos de Portugal e sei que estamos envelhecidos e, a cada dia, o risco não nos vermos aumenta. Porém, viajar exige tesão e saúde. Ando sem ambos. Ontem uma simples ida as compras me deixou cansada.

Também quero fazer mais uma das muitas coisas que ainda faltam em casa e a lista vai de armários de cozinha até um pergolado no jardim. Não pensem que qualquer investimento vale mais que o abraço dos amigos, mas estabeleci a meta de ir fazendo uma coisinha em casa por ano.

O carro terminou a garantia e quero trocar em junho. Isso me deixa com dividas a frente. Termino um financiamento e começo outro. O governo já avisou que não teremos reajustes salarial pelo segundo ano.

A casa é minha casca. Meu canto. Onde entro quando chego do trabalho. Talvez um pergolado novo, uns cuidados no jardim me ajudem a sair mais lá fora e desfrutar o dia.

Talvez, as meninas venham estreiar. Cissa vai mudar para outra cidade à servico e Agnes e Beto vivem de agenda cheia....nada, entretanto, que um vinagrete de polvo e ceviche não conquiste.

Tenho andado só e não venci o luto de ter deixado o Mahananda. Continuo firme nos meus princípios e votos a Fraternidade, mas sinto falta da convivência diária. Depois de mais de uma década, eram os amigos que tinha.

Vou furando o chão enquanto tá mole, como dizia meu pai no sentido de aproveitar o que cada dia oferece.

Diariamente vou no Arrozcatum buscar noticias do amigo Zito, que deixou o hospital para estar entre os seus. Não importando por quanto tempo. A doença dele me mostrou muito da vida.

Desejo amigo que seus dias estejam mais confortáveis e que a paz lhe seja companheira..

Aos amigos do Arroz, que se tornaram meus amigos, envio um forte abraço e votos de que nossa amizade perdure.

Beijos e carinhos a todos.
Shanti.

2 comentários:

  1. Olá amiguinha

    Senti o calor do seu abraço que me faz bem. Agradeço e retribuo. A amizade quando verdadeira é reciproca, e nem a enorme barreira que se chama Atlântico vai influir no negativo. Estamos nesta condição que muito me apraz.
    Vou todos os dias ao Arrozcatum mais do que uma vez, não sei o que escrever - comecei a desanimar.
    Ontem somamos 51 anos de casamento - no ano passado o Zito felicitou-nos com a foto dum prato comemorativo com os nossos nomes e data - como eu gostei!!! E neste ano está tão doente, eu não necessito de o ver para sentir que ele está mal. Fomos passear e almoçar a alguns Km. daqui (fiz fotos irei pôr no blog) acredite Nouredini lembrei-me tanta vez dele...

    Desejo para si boas férias, mais saúde, e que as filhas estejam bem.
    Beijinhos.
    Dilita.

    Grata pela visita no m/blog - gostei muito da frase "um fio de tinta......)

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Querida amiga,

      Me alegra suas palavras verdadeiras e cheias e carinho.
      Fico muito feliz com sua data e por manterem-se juntos ao longos de tantos anos. Tenho 57 anos e este ano, se ainda estivesse com meu primeiro parido, faríamos 42 anos de casados. Não estamos juntos, mas a amizade continua e passei a noite de Natal na casa dele. Mantivemos a amizade e o respeito e fico feliz.
      Amiga, também vou ao Arroz várias vezes ao dia, sempre esperando novidades.No estado do nosso amigo, estar em casa e cercado dos que ama, torna-se o melhor que podemos desejar. Nada de ambiente frio ou impessoal de hospital.
      Que seja uns dias, meses ou ano. Ele está entregue nas mãos Daquele que tudo sabe.
      Desejo a ele dias de mais conforto, boas lembranças e o amor da sua companheira de toda vida.
      As minhas filhas, domingo, insistiram que eu fosse a Portugal, mas acho que este é um momento muito da familia. Em fevereiro, no carnaval,Agnes irá com o marido, não sei o roteiro, mas se sua cidade estiver, pedirei que passe para lhe da um bilhete de punho e selar nossa amizade com uma cartinha como as de outrora.
      Desejo a você e a Sr.Olimpio, que continuem a ter um ao outro. Este e filha e netos sao seus melhores presente.
      Saúde a ambos e muitas alegrias.

      Excluir

Obrigada pela visita. Deixe seu comentáro, enquanto passo nosso cafezinho.