1 de out de 2015

café mal passado.


Tenho andado num ritmo muito lento de postagens neste blog, nos passeios e comentários em blogs de amigos.  Cheguei até a ficar uma tanto preocupada.  De onde vem essa malemolência, esse banzo de escrever, sorrir ou chorar com os amigos e partilhar com todos  o meu cafezinho?

Passei um café, cutuquei as lembranças e fui ao ponto – inibição! Nunca pensei que seria abatida por este sentimento. Sei até quando tudo  começou ... Em julho fiz um curso de redação de relatórios técnicos e uma revisão de gramática. No curso tomei consciência das minhas limitações e, desde então, tornei crítica ferrenha da qualidade da minha escrita.

Perdi a chave da candura, do riso frouxo, dos trocadilhos, das lágrimas e palavras soltas. A licença poética a qual me permitia foi extirpada pelo professor.  Passei a achar tudo pobre, tudo errado ou cheio de falhas.

...hoje acordei para isto, um bom gole de café pelando me queimou a língua e juro vai soltar a escrita com todos bons e velhos erros, letras trocadas  e frases trucadas. Voltarei a ser feliz ao lado dos que tanto gosto. Vou escrever, falar, chorar, amar e partilhar os meus dias com a alegria de antes e que todos se disponha compreender.

Beijos revigorados.

2 comentários:

  1. Nada de inibições, minha amiga...Seu café sempre foi e continua sendo, muito bem passado...Continue escrevendo com seu coração: conversa de amigo não é relatório!
    Bjs
    Zito

    ResponderExcluir
  2. Sei que vc me entendi e lê com olhos amorosos!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Deixe seu comentáro, enquanto passo nosso cafezinho.