29 de mai de 2013

Purê de banana da terra, picanha e risoto de carne seca, depois um licor com cafezinho.


Algumas pessoas se expressam com palavras escritas e faladas com tamanha propriedade, que conseguimos sabe-los só de ouvir ou ler o que produzem. Já lhes falei do Seu Augusto e sua forma impar de dominar as palavras. Outras pessoas pintam, bordam ou  desenham dando vida ao que são, com os mais variados recursos.

Tenho a sorte de conhecer e amar alguém singular e de escrita impecável, mas que tem na musicalidade que lhe invade a alma e na arte de cozinhar, sua expressão mais plena, seu retrato mais fiel.

Paulinho não fala, canta.  Ele é incidental no seu repertório variado e de  bom gosto. Há uma música para cada momento, seja alegre, triste ou poeta, como diz Caetano Veloso.  Ele é “assim, sei lá, meio passional por dentro”. Fala de amor, cidadania, família, tristeza e alegria sempre cantando e contando aos seus botões as suas muitas histórias vividas.

Não bastasse a musicalidade, se expressa pelo cuidado e atenção na cozinha fazendo uma combinação de agrados, mimos, sabores, odores e muito visual que enche os olhos e a barriga de quem ama. Parte do princípio, que barriguinha cheia é plena felicidade.

Cozinha para os filhos, amigos, irmãos e amadas. Prepara de mamadas a bacalhau com o mesmo cuidado, a mesma dedicação e fica esperando que cada um se alimente e  se sacie para então sentir-se realizado.

O menu de hoje que dá título a este post é  prova de que ele não é  um homem só  para ouvir , mas também  para degustar e, que lhe valha a amplitude da expressão que aqui declaro.

Em breve ele virá a Salvador e poderemos desfrutar de suas muitas habilidades, inclusive as proibitivas para este espaço.

Salve seu Paulinho, um homem de Oxum com todos os seus dengos , com a força conferida por Ogum e paizão que nem Oxalá. Salve, Salve a Bahia lhe espera de braços e coração aberto.

 

 

2 comentários:

  1. A ementa me parece óptima e afrodisíaca q.b. mas não se deve esquecer a pitada de nós moscada no puré de batata...
    Desejo que Paulino não seja gago e, por isso, falaria cantando para não gaguejar falando! (Me desculpe este àparte meio tolo, denunciador deste meu quáse-ciúme de tão "gostoso" camnarada)...
    Aliás, o que eu mais desejo é a sua felicidade sejam quais forem as habilidades, proibitivas ou não!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada amigo querido e pode ciumar o quanto quuser porque fico envaidecida de tão desacostumads em ser querida.
    ... e pondo em bons termos e pesos, você tem sido mais presente que ele.
    Beijos e abraços com pitadas de anis estrelado como o céu de MIndelo

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Deixe seu comentáro, enquanto passo nosso cafezinho.