2 de mar de 2016

Um dia diferente

Hoje o dia parecia  estranho.  Acordei e não  precisei  molhar as plantas,  uma chuvinha miuda fez o meu trabalho pela noite.
Meio incerta do que fazer,  juntei o lixo,  tomei banho e resolvi ir ao  horto estrada afora  em busca de um jardim do cabo,  o jardim gardênia do meu pai. 


A estrada estava vazia,  o pedágio  estava vazio e sem filas.  Entrei na estrada de acesso ao horto e nenhum carro,  carreta ou caminhão  cruzou comigo.  Saltei e no horto  todos os funcionarios estavam  lá  só  para mim.  As flores me esperavam.
Um carro chegou... outro ser de folga pensei,  qual nada.  A pobre senhora procurava flores de corte e se deslocava a um enterro noutro estado.
Escolhi  um grande pé  de jasmim e,  de repente,  resolvi visitar a minha cunhada irmã  Aninha.  

Continuei pela estrada,  peguei uma pequena estrada de chão  batido que dá acesso ao sitio deles.  No caminho,  salvo duas senhoras que esperavam  na porta da pequena igreja,  não  vi ninguém. Cheguei ao sítio e nem o caseiro encontrei. Voltei em cima do rastro. 


Na estrada,  já se aproximava a hora do almoço,  resolvi entrar no Outlet Center Premium - um aglomerado aberto de muitas lojas,  centenas de vagas  e farta praça  de alimentação, que estava vazia.  A senha do meu prato foi a O01. 


Era tudo muito estranho  e para voltar ao mundo resolvi olhar as msg do celular e lá  estava o motivo.  O mundo todo tentando me avisar que a minha amiga,  a minha velhinha querida Vanusia teve uma hemorragia de um aneurisma.


Respirei,  vibrei,  orei,  peguei o carro  fui até a minha casa,  descarreguem as plants.  Tomei um banho,  recarregue a alma e lá  fui ve-la.
A encontrei consciente e orientada antes de fechar entre nos a porta da UTI. 

Agora cá  estou na estrada voltando para casa.  Parei numa casa de pizza e mercado,  onde se come bem.  Ouço  uma boa música e divido com vocês  a espera da definição  se será  feita uma cirurgia.  Se é  tratável. Se haverá  sequelas. 


Não  me sinto só.  Estou com a Fraternidade,  minhas filhas,  meus amigos de Portugal e sempre teremos recomeços.  Vou ligar para seu Augusto porque me dou conta que gosto muito dele.
Vibremos pelo melhor,  seja o que for!

6 comentários:

  1. Olá amiguinha!
    Não foi muito agradável de viver a sua manhã neste dia - porém sempre há pior, se quisermos pensar encontramos...
    Desejo muito que a sua amiguinha recupere e sem sequelas. Os nossos entes queridos não têm nunca muita idade!
    Bonita fotografia! Faça outra do mesmo teor, mas em frente ás suas flores, para que eu possa vê-las.
    Beijinho da Dilita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida
      após uma intervenção, ela vem respondendo bem. Esta lúcida e orienta. A previsão são 15 dias de uti. O aneurisma era de grande de porte.
      Esta entregue ao Pai.

      Excluir
    2. Querida
      após uma intervenção, ela vem respondendo bem. Esta lúcida e orienta. A previsão são 15 dias de uti. O aneurisma era de grande de porte.
      Esta entregue ao Pai.

      Excluir
  2. Eu gostei do texto. Eu estou contente minhas flores de feira estão vivas e bonita depois de dois meses. Eu fiquei muito alegre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com o privilégio de ter flores de feira deve ser wal, obrigada pela visita.

      Excluir
  3. Com ou sem aneurismas, é muito bom ter amigos cujo trajecto de vida nos toca, nas boas e nas más horas...É a nossa capacidade de amar em toda a sua amplitude...Como o carinho também cura, sua amiga Vanusia vai ficar bem, logo, logo!
    Bjs
    Zito

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Deixe seu comentáro, enquanto passo nosso cafezinho.