21 de jul de 2016

Amigos do charuto merecem café

Por conta do pique de trabalho estes dias  tenho saído mais tarde que de costume e muito cansada para pegar a estrada. Não moro tão longe, fica no litoral norte, região metropolitana de Salvador, mas tecnicamente saio de Salvador, pego a BA 099 e atravesso dois municípios.

Esta semana dormi  na casa da minha filha. Quando preciso dormir lá, tenho por costumo avisar, afinal não é mais a minha casa e ela pode ter visitas. Também, logo que guardo o carro, janto nas imediações, evitando trabalho a mim e a a ela.

De saída para jantar, passei na portaria e dei um dedinho de prosa com a porteira, enquanto conversávamos, ela foi cumprimentada efusivamente por morador das imediações. Bati o portão e segui a passos largos até a esquina para jantar. Cumprimentei o senhor que ultrapassei na calçada e segui. Foi quando ouvi o estalo, um ruído metálico baixo...

Reconheci o som e sem pensar falei alto: Minha boca encheu-se de água!  O som era de um cortador de charutos. A memória do sabor e dos bons momentos vividos às baforadas tomou-me por completo. Quando notei o senhor já tina apressado o passo e com gentileza e alegria me perguntou: a senhora gosta de charutos? a senhora fuma charutos?

Antes que eu respondesse, pediu licença e se apresentou como Ary  e disparou a falar que sua vó fumara, que ele adora e, acrescentou que achava bonito uma mulher fumar charutos.  Contou que aquele charuto fora feito em especial para ele por uma amigo de Cruz das Almas e sacando do bolso um exemplar, me ofertou.

Falamos dos bons lugares que tivemos para fumar charutos e beber um bom conhaque em Salvador e assim, numa esquina de rua tivemos uma conversa agradável. Descobri que por anos fomos vizinhos de prédio e rimos das surpresas que a vida nos reserva.

Degustarei com carinho o capa preta que recebi  junto com um cafezinho e as boas lembranças deste encontro inusitado.


http://charutoseharleyros.blogspot.com.br/, foto capturada sem autorização e poderá ser retirada assim, que solicitado

2 comentários:

  1. Nos meus infelizes tempos de fumador, que me colocaram na incómoda posição que agora suporto, nunca consegui "adorar" charuto, muito embora me agradassem os aromas...
    Constatei uma Cruz das Almas aí no Brasil, tal como na vila de Nova Sintra, Ilha Brava, berço de Maiúca... Feliz coincidência...
    Bjs
    Zito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiro perdão por publicar uma apologia ao fumo num momento de infortúnio por consequência dele. Na verdade este post foi feito antes do teu e retardei a publicação.
      Cruz da Almas é uma cidade da Bahia, mas na verdade errei e a cidade de onde veio o charuto foi Cachoeira, um dos berços da nossa independência. Lá os bons charutos ainda são feitos e os simples daqueles de feira também. Depois lhe mandarei fotos de Cachoeira dividida de São feliz por um rio e uma famosa ponte as une. Corrigirei o post!

      Excluir

Obrigada pela visita. Deixe seu comentáro, enquanto passo nosso cafezinho.