21 de ago de 2013

Para mãe de ZeZa - Carinho, café e silêncio.

 Agora, eu sou uma estrela!


 
Agora, o braço não é mais o braço erguido num grito de gol.
Agora, o braço é uma linha, um traço, um rastro espelhado e brilhante.
E todas as figuras são assim: desenhos de luz, agrupamentos de pontos, de partículas,um quadro de impulsos, um processamento de sinais. E assim — dizem — recontam a vida.
Agora, retiram de mim a cobertura da carne,escorrem todo o sangue,afinam os ossos em fios luminosos,e aí estou, pelo salão, pelas casas, pelas cidades, parecida comigo.
Um rascunho.
Uma forma nebulosa, feita de luz e sombra.Como uma estrela. Agora, eu sou uma estrela.



Em homenagem a uma mãe jovem, trabalhadora e cuidadosa, que partiu hoje, deixando seus 5 filhos pequenos ao sabor das nossas preces, dedico este poema de Fernando Faro constante do álbum  - O Trem Azul de Elis Regina; o meu silêncio e o meu respeito.
Para você que sobrevivia de "café e bolinho" para sustentar a sua família, nossa homenagem sincera!
Beijos minha querida, você fez a sua parte, agora a vida conduzirá da melhor forma!

Shanti.

 












2 comentários:

  1. Poucas coisas custam mais a um idoso, como eu, do que ver jóvens partir...É tão injusto que quáse me sinto culpado!
    Deploro, do fundo da alma!
    Bjs tristes
    Zito

    ResponderExcluir
  2. Obrigada querido amigo,
    a nós resta pensar como poderemos ajudar.
    Sem culpas, sua presença é uma grande a alegria para muitos.
    beijos

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita. Deixe seu comentáro, enquanto passo nosso cafezinho.