11 de out de 2013

Café dissociado

Hoje eu vi a loucura. Eu vi a loucura nos olhos esbugalhados de um homem.
Hoje eu vi um homem amigo com seus olhos de louco. Hoje eu vi um amigo oco.
Vazio do que era  e cheio do que imaginava. Ele cheirava e espumava loucura. Não era uma loucura doce, mansa, insana e de olhos vazios. Era uma loucura colérica, cheia de sons e grunidos indecifráveis.  Palavras soltas, ocas de sentido, cheias de raiva e de medo.
Procurei resgatar pelo olhar,  portas da alma, quaisquer dos traços do que  ele fora e nada encontrei,
Espumou, vociferou e depois entregou-se ao choro convulsivo e, nesta hora, até o louco se foi de sua alma. Por um breve momento, restou um zumbi, um morto vivo, uma casca. Triste, muito triste!
Momentos depois se recompôs como se nada acontecerá. Chegou a  olhar- me como se eu fosse a louca, dada a minha cara de espanto.
Providenciei rápido um café,  como de costume nas minhas horas  de pânico. Sorvi  cada gole rezando para que não tivesse sido minha a alucinação. Revi, quadro a quadro, toda a cena e cheguei a conclusão que,  de fato tudo ocorrera e para minha imensa tristeza, conclui que meu amigo está a um passo da loucura ou  já alterna loucura com lucidez.
Pensei muitas vezes como abordarei a questão.  Como tocar no assunto, como não provocar um novo colapso. Resolvi procurar uma ajuda profissional, pedir uma orientação a um psiquiatra de minha inteira confiança.
Neste momento escrevo-lhes pensando como somos frágeis,  como é tênue a linha que nos separa deste abismo. Espero que não passem por isto, pois é muito ruim e nos leva a questionar nossas certezas.
Faço mais um café e desta vez para ele e desejo que este café seja curativo - Um desejo infantil, mas do fundo do meu coração.
Beijos assustados, vou tomar mais um café para acalmar.

3 comentários:

  1. Seja o que for que aconteceu, teve o condão de patentear seus olhos profundos (castanhos?)...Qunto ao resto é dos livros: a gente vive sobtre o fio da navalha!
    Beijo calmo
    Zito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro amigo, sua observação me fez rever a foto e, confesso, me assustei com o meu olhar.

      Rapidamente suprimi a foto e troquei por outra não menos forte. A primeira vez que li Jung, tive a certeza do quanto à loucura nos é iminente.
      Beijos sóbrios

      Excluir
    2. NÃO ADMIRA - JUNG ERA LOUCO VARRIDO...

      Excluir

Obrigada pela visita. Deixe seu comentáro, enquanto passo nosso cafezinho.